segunda-feira, dezembro 26, 2005

Eduardo Mãos-de-Tesoura

Título Original:
"Edward Scissorhands " (1990)

Realização:
Tim Burton

Argumento:
Tm Burton & Caroline Thompson

Actores:
Johnny Depp - Edward Scissorhands
Winona Ryder - Kim
Dianne Wiest - Peg
Anthony Michael Hall - Jim


Provavelmente o melhor conto de fadas realizado nas últimas décadas, Eduardo Mãos-de-tesoura conta a história de Edward, um homem criado por um inventor, que faleceu antes de completar a sua obra, deixando tesouras no local onde deveriam ser as mãos de Edward. Um dia, Edward é descoberto e trazido para a cidade mostrando o seu talento com as tesouras e ganhando o afecto dos habitantes. No entanto, nem sempre a vida é agradável e Edward terá que enfrentar as dificuldades de adaptação a um ambiente inteiramente novo e os perigos a que um ser invulgar está sujeito, fora da protecção da sua mansão…

Depois de em 1989, Tim Burton ter ressuscitado Batman, criando uma aventura gótica que colocou o homem-morcego na galeria das melhores adaptações da BD para o cinema, em 1990 cria um conto de fadas moderno, recomendável para audiências de todas as idades e contendo todos os elementos que fazem do cineasta, um dos mais invulgares, talentosos e criativos realizadores de que há memória: estilo visual apurado, realização segura, cenários elaborados e o uso do jogo de cores e luz. É curioso, por exemplo, ver como a aparência a preto e branco de Edward contrasta com as cores fortes e intensas dos subúrbios da cidade, um dos traços característicos da estética visual de Tim Burton.

Nos seus filmes, Burton tem a capacidade de criar um mundo muito próprio, negro, mas ao mesmo tempo cheio de esperança. É o caso de Eduardo mãos-de-tesoura, onde Burton cria uma espécie de clássico negro e romântico, centrando a história num personagem inadaptado a uma nova realidade, adorado por muitos e traído pelo seu coração (vai-se apaixonar como qualquer ser humano) mas vulnerável ao ambiente adverso a que fica sujeito.

Edward é Johnny Depp em todo o seu esplendor. O filme marca o início da colaboração Burton/Depp continuada em Sleepy Hollow – A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça, Ed Wood, Charlie e a Fábrica de Chocolate e o recente A Noiva Cadáver. Johhny Depp (na minha opinião, o melhor actor da actualidade) tem uma performance soberba, convincente e credível. Depp cria um personagem vulnerável, confuso, sensível e com bom coração que se tenta adaptar a um mundo novo apesar das suas imperfeições.

Por um lado, o espectador acaba por simpatizar com este adorável personagem que nos faz rir quando por exemplo tenta comer algo com as suas enormes tesouras e não o consegue fazer, ou nos espanta com o seu talento a cortar o cabelo às pessoas da cidade ou a fazer autênticas esculturas a partir dos arbustos. Por outro lado, sentimos pena dele. De facto, Edward é o simbolismo da pessoa inadaptada e o amor que irá sentir por Kim (Winona Ryder), irá despoletar um acontecimento trágico que marcará a sua passagem pela cidade.

Eduardo Mãos-de-tesoura é um projecto de criança de Tim Burton, que se alienava da realidade, criando fábulas e personagens fictícios, que neste caso concreto, mais tarde conseguiu transpor para a tela. O resultado é um filme de uma beleza extrema mas em última análise um pouco triste. Os assuntos são sérios (dificuldade de adaptação, ser diferente das restantes das pessoas, o amor, etc) mas aqui tratados com uma sensibilidade notável por parte do cineasta. Talvez pelo facto de valores como o amor, a amizade ou a lealdade serem o centro do filme, este seja quase universalmente aclamado. È, sem dúvida, um filme altamente recomendável, principalmente porque contém todos os traços característicos de um cineasta fabuloso como Tim Burton e uma interpretação inesquecível de Johnny Depp. Para todas as idades…

® Sérgio Lopes

5 Comments:

At 3:31 da tarde, Blogger membio said...

recentemente vi o filme, não sei em que canal foi, mas fez-me relembrar o quanto bom é o filme e o seu realizador.

 
At 4:28 da tarde, Blogger Traquinas said...

Este filme marcou a minha adolescência. De facto, é comovente a interpretação de Depp e faz-nos pensar que nem sempre os contos de fadas terminam bem.
Gostei da análise que fizeste ao filme, mas esta é uma daquelas histórias que não gosto de analisar, é mesmo só para ver, com olhos coloridos de rosa, como nas histórias de encantar.
Pena que o Eduardo continue inadaptado. E quantos eduardos andarão por ai?!

 
At 7:03 da tarde, Anonymous Artur Almeida said...

Uma das mais estranhas histórias de amor do cinema, mas também uma das mais belas. 9/10 aqui.

Cumps

 
At 11:24 da manhã, Anonymous S0LO said...

GRANDE filme. Burton é um génio...tenho dito :P!

Cumps.

 
At 4:59 da tarde, Blogger cine-asia said...

Traquinas: Realmente a tua pergunta é pertinente: Quantos Eduardos andarão por aí? De facto, o filme é uma metáfora bem real sobre a inadaptação.

Quanto aos outros bloggers, felizmente concordam comigo. è de facto, um grande filme. Não há muito mais por dizer...

Cumprimentos,

Sérgio lopes

 

Enviar um comentário

<< Home