domingo, abril 16, 2006

Infiltrado

Título Original:
"Inside Man" (2006)

Realização:
Spike Lee

Argumento:
Russell Gewirtz

Actores:
Denzel Washington – Detective Keith Frazier
Clive Owen – Dalton Russell
Jodie Foster – Madeline White
Willem Dafoe – Capitão John Darius


Um assalto a um banco é o ponto de partida deste filme. O grupo de quatro assaltantes devidamente disfarçados é liderado por Dalton Russell, que pretende levar a cabo o que diz ser um assalto perfeito. Para complicar o trabalho aos agentes da polícia, sob as ordens do Detective Keith Frazier, os assaltantes obrigam os reféns a vestirem fatos e colocarem máscaras iguais às deles, deste modo os polícias não podem disparar para não correr o risco de ferir um refém. Quando são feitas as exigências pelo líder dos assaltantes e começa o jogo do gato de do rato entre assaltantes e polícia, entra em cena Madeline White, uma mulher misteriosa com contactos importantes que lhe permitem ganhar dinheiro, contratada por alguém para negociar com o líder dos assaltantes de forma a assegurar que um importante segredo não passe disso mesmo. O que complica o trabalho de Frazier como agente infiltrado.


Depois de Ela Odeia-me (2004) o conceituado realizador Spike Lee traz-nos agora um thriller com inspiração em filmes clássicos de corrupção policial dos anos 70. A título de exemplo, a personagem de Denzel Washington está na corda bamba entre a integridade e a corrupção. Infiltrado não é um mero filme policial em que predominam as cenas clássicas do assaltante sem coração que mata reféns por gozo ou do polícia herói que dá cabo dos bandidos após um longo confronto com trocas de tiros por todo o lado. Com um elenco que luxo que cumpre bem o seu papel, ainda que Jodie Foster seja uma personagem quase secundária, Infiltrado é um filme que procura quebrar um pouco a passividade do público e prender a sua atenção levando-o a questionar o que está para além dum crime perfeito numa narrativa que tem pequenos avanços e recuos no tempo.


Em A Última Hora (2002) o realizador mostrou-nos uma Nova Iorque ainda com feridas abertas em consequência do ataque terrorista do 11 de Setembro, notando-se o incómodo dos nova-iorquinos em relação às pessoas de origem árabe. Em Infiltrado esta última temática é abordada uma vez, mas sem ser explorada a fundo, na “grande maçã” é-nos mostrado outro lado, o lado das ambiciosas personagens representadas pelos actores que disputam entre si a riqueza e o poder, tentando despistar-se uns aos outros de modo a protegerem os seus respectivos interesses. Uma pista para o final do filme? Nada é o que parece.

® Isabel Fernandes

1 Comments:

At 12:06 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Uma autêntica porcaria!

 

Publicar um comentário

<< Home