domingo, agosto 28, 2005

Realizador da Semana: Abbas Kiarostami

Abbas Kiarostami é justa e incontestavelmente a leading figure do novo/moderno cinema iraniano. É quase caso para dizer que este gira à volta de Kiarostami sem sombras por perto, embora este esteja acompanhado na demanda pelo reconhecimento internacional do cinema do Irão.

Nascido em Teerão a 22 de Junho de 1940, o iraniano, cuja trademark são óculos de sol escuros, formou-se em Artes tendo consequentemente trabalhado como designer gráfico. Regularmente comparado a Satyajit Ray, Vittorio De Sica e Eric Rohmer, o cinema de Kiarostami é dono de uma simplicidade poética com a qual são percorridos alguns dos mais complexos assuntos da vida.

Tendo adquirido reconhecimento – e feito bem para o manter – no Ocidente nos finais da década de 80, destacam-se portanto os seguintes filmes da sua filmografia: Onde Fica a Casa do Meu Amigo?, uma estranha parábola sobre solidariedade e amizade premiada em Locarno com o Leopardo de Bronze, reveladora do quotidiano familiar e escolar do Irão; Close Up, exercício insólito sobre um homem que se faz passar por um famoso realizador, metendo-se em apuros como consequência; E a Vida Continua, documentário dramático onde um realizador viaja com o seu filho a uma zona devastada por um terramoto a ver se dois jovens actores com quem tinha trabalhado ainda estão vivos; o aclamado nomeado à Palma de Ouro em Cannes Através das Oliveiras, que explora a relação entre um realizador e os seus actores; O Sabor da Cereja, aplaudido vencedor da mesma Palma de Ouro em que um homem de meia-idade procura, em Teerão, quem o assista no seu suicídio; O Vento Levar-nos-á, belíssima obra hiper-realista sobre a chegada a uma aldeia iraniana de uma equipa de homens inofensivos numa demanda secreta; e o radical e desconcertante Dez, ousado estudo sobre a condição das mulheres no Irão contemporâneo com a marca dicotómica vigente da simplicidade e complexidade.

Jean-Luc Godard proferiu uma vez: “Os filmes começam com D.W. Griffith e acabam com Abbas Kiarostami.” Caramba, se calhar é demais, mas Godard disse-o por alguma razão.

® Artur Almeida

2 Comments:

At 10:57 da tarde, Blogger Álvaro Martins said...

É sem dúvida um dos mais brilhantes realizadores dos últimos anos.Não vi todos os filmes dele,mas já conheço a sua carreira há muito tempo,desde E a Vida Continua, que é sem dúvida, juntamente com O Sabor da Cereja, os meus filmes preferidos dele.Outra coisa, tenho um filme dele, gravado da televisão que dá pelo nome de Onde Mora Mohamad Reza,será o filme que é mencionado aqui como Onde Fica a Casa do meu Amigo??.

 
At 7:04 da tarde, Blogger Manuel said...

é esse pelo menos o nome na versão inglesa e francesa.
agora já não me lembro qual foi o nome que lhe deram quando passou na tv. se calhar é esse que dizes já que esse é o nome do rapaz que o protagonista procura.
este filme é espectacular. deve ser o meu filme favorito, deste autor.

 

Enviar um comentário

<< Home