domingo, abril 09, 2006

Se7en - Sete Pecados Mortais

Título Original:
"Se7en" (1995)

Realização:
David Fincher

Argumento:
Andrew Kevin Walker

Actores:
Brad Pitt - Detective David Mills
Morgan Freeman - Detective Lt. William Somerset
Gwyneth Paltrow - Tracy Mills
Kevin Spacey - John Doe

Entre os escritos de S. Tomás de Aquino há a referência a sete pecados mortais (segundo a lei de Deus) que os cristãos devem evitar cometer, pois isso pode pôr em causa a salvação das suas almas. Os pecados mortais são: gula, luxúria, ganância, preguiça, vaidade, inveja e ira. Neste thriller policial de David Fincher, um assassino em série escolhe as suas vítimas com base no pecado mortal que cometem em vida. No encalço do criminoso estão dois detectives: Sommerset e Mills que se deparam com crimes cometidos de forma metódica resultando na morte de alguém a cada dia da semana.


O detective Sommerset é mais velho e mais experiente e apesar de estar a uma semana da sua desejada reforma, interessa-se pelo caso e resolve ajudar o jovem e pouco experiente detective Mills, que acabara de chegar à cidade com a sua esposa Tracy. A diferença de procedimentos entre os dois detectives, embora as diferenças de um complementem as do outro, é sobretudo o facto de Sommerset querer entrar na mente do assassino, analisando os “recados” por ele deixados nas cenas de crime para compreender melhor os motivos por detrás de cada morte ocorrida, enquanto Mills age mais por impulsão, com maior preocupação em resolver o caso e apanhar depressa o culpado do que compreender o motivo dos crimes. A história do filme parece girar mais em torno do personagem Sommerset (bem representado por Morgan Freeman), como se a acção fosse guiada pelo ritmo das suas descobertas ou das opiniões que formula.


Se7en não é só mais um filme sobre polícias e assassinos em série, tendo estreado há já onze anos tornou-se num filme de culto que exerceu influência sobre outros filmes, como por exemplo: Saw – Enigma Mortal (2004). O genérico é dos mais interessantes, dada a quantidade de técnicas de montagem que utiliza e reflecte justamente a cor sombria da temática do filme. Sombria também é a cidade (está quase sempre a chover) e dentro dela os cenários dos hediondos crimes (pormenorizados) que nos impressionam pelo seu realismo – sobretudo o cenário da primeira vítima encontrada, que cometera o pecado da gula, e o cenário de outra vítima que cometera o pecado da preguiça. Se o final não satisfizer todas as pessoas, não há nada melhor do que comprar o DVD e ver um final alternativo nos “extras”.


Se7en faz-nos pensar no quão perturbada pode ser a mente de um assassino e no quão podres são por vezes as atitudes e acções das pessoas num mundo cheio de tantas coisas em simultâneo que às vezes não conseguimos compreender e inserir-nos, encontrar o nosso lugar ideal.


® Isabel Fernandes

1 Comments:

At 2:26 da tarde, Blogger membio said...

é um excelente filme que remexe com os nossos sentidos mais à flôr da pele.

 

Enviar um comentário

<< Home