segunda-feira, novembro 28, 2005

Mysterious Skin

Título Original:
"Mysterious Skin" (2004)

Realização:
Gregg Araki

Argumento:
Gregg Araki, baseado na obra de Scott Heim

Actores:
Joseph Gordon-Levitt - Neil McCormick
Brady Corbet - Brian Lackey
Elisabeth Shue - Ellen McCormick
Michelle Trachtenberg - Wendy Peterson


Numa época em que assistimos incrédulos à divulgação de casos e mais casos de pedofilia, um pouco pelo mundo inteiro, o cinema tem ultimamente mas quase timidamente abordado o tema da pedofilia e dos problemas da juventude. Filmes como The Woodsman – O Condenado, com Kevin Bacon ou Mean Creek são disso mesmo o exemplo.

Mas enquanto que em The Woodsman - O Condenado, pela primeira vez no cinema, a pedofilia era abordada sob o ponto de vista do pedófilo, em Mysterious Skin tudo recai sobre dois jovens com um passado em comum. Em The Woodsman - o Condenado essa abordagem ao tema era cuidada, quase indirecta e tentava de certo modo, não ferir susceptibilidades, tornando-se assim um pequeno grande filme, fruto igualmente da fabulosa interpretação de Kevin Bacon. Aliás o tema não é novo para o actor. Quem não se lembra de Sleepers – Sentimento de Revolta? Em Mysterious Skin, o registo é completamente diferente de The Woodsman - O Condenado, mais próximo de Sleepers - Sentimento de Revolta.

O filme foca a vida de dois rapazes, Neil e Brian, entre a infância e a adolescência, com um passado infeliz em comum. Neil é um adolescente homossexual que sempre se sentiu atraído por homens mais velhos e que ganha a vida prostituindo-se. Brian, tem segmentos da sua infância que não se recorda e sofre desmaios constantes e contínuos black-outs. Apenas sabe que algo de grave aconteceu, mas não se recorda o quê, acreditando que tenha sido raptado por extraterrestres. Na sua busca por respostas vai cruzar caminho com o seu colega de infância Neil, descobrindo a terrível verdade…! Ambos, no final, acabam por, de alguma forma, exorcizar os seus demónios interiores de acontecimentos que marcarão as suas vidas para sempre.

Mysterious Skin é um filme bastante pesado, não só pela temática abordada mas também porque contém várias cenas de sexo homossexual Todas elas chocam, seja por abordarem certos fetiches, seja pelo fantasma da SIDA ou pelos diversos “clientes” de Neil, que mostram a homossexualidade ocultada nos mais diversos níveis etários e sociais. Não é um filme sobre sexo mas contém ma carga sexual forte, essencial na concepção do filme, na medida em que está ligado directamente ao que rodeia os personagens.

Os dois protagonistas Joseph Gordon-Levitt e Brady Corbet são soberbos na composição dos seus personagens. Aliás, Gordon-Levitt (conhecido essencialmente da série de Tv. 3º calhau a contar do sol) é surpreendente, num papel de registo dramático e de grande composição de personagem. Os restantes membros do elenco são igualmente competentes

Gregg Araki cria uma película de tom pesado mas ao mesmo tempo de uma subtileza e sensibilidade notáveis. A narrativa flui de uma forma pacífica suportada por uma montagem onde os flashbacks da infância dos personagens encaixam na perfeição. O trabalho de câmara do cineasta é bem direccionado, servido por uma fotografia e partitura sonora, competentes. A par da realização competente, os actores transportam grande realismo e credibilidade às personagens.

Mysterious Skin é um filme que, sobretudo, tenta abordar os efeitos que a pedofilia tem sobre a vida de uma criança e as repercussões que terá para toda a vida. Apesar do material pesado é um filme realizado de forma sensível e sensata. Altamente recomendável.

® Sérgio Lopes

5 Comments:

At 5:38 da tarde, Blogger SweetSerenity said...

Permito-me dizer que vocês têm um excelente blog! Muitíssimo bem organizado, original e actualizado. Parabéns :)

Beijos**

 
At 1:18 da tarde, Anonymous S0LO said...

Dava-lhe exactamente a mesma nota :)!

Abraços

 
At 4:51 da tarde, Blogger gonn1000 said...

Onde é que vocês andaram a ver isso? Também quero :P

 
At 7:43 da tarde, Blogger not_alone said...

Gostei muito deste filme. Especialmente do actor principal. Totalmente diferente do seu registo na série 3º Calhau a Contar do Sol. A presença de Elizabeth Shue também é uma mais valia. Apesar de um papel secundário achei que ela estava muito bem.

 
At 12:49 da manhã, Blogger cine-asia said...

Sem dúvida um filme pesado, mas obrigatório! Não sei é se estreou cá entre nós... não tenho a certeza.

 

Enviar um comentário

<< Home