domingo, junho 05, 2005

Realizador da Semana: Quentin Tarantino

Nascido em Março de 1963 no Tennessee, Quentin Jerome Tarantino desistiu do liceu aos 16 anos, apesar do seu q.i. ser de 160.
Grande fã dos Três Estarolas, começou a interessar-se por filmes devido à sua experiência como funcionário de uma loja de aluguer destes. O trabalho como profissional nestes veio com o independente Cães Danados, que tem tanto de violento como de aclamado, influenciável ou cultivado.

Sem passar muito tempo, uma história sua, Assassinos Natos, foi adaptada por Oliver Stone, o que valeu a Quentin uma zanga de longa data com este por entender que Stone não esteve à altura na cadeira de realizador. Mas logo logo a seguir veio a glória e consagração eternas com aquele que seria Palma de Ouro em Cannes, aquele altamente revolucionário e alvo de tremenda fonte de inspiração que dá pelo nome de Pulp Fiction. Haverá filme contemporâneo mais consensualmente aclamativo? Haverá alguém capaz de abominá-lo ou haverá alguém só que não goste tanto como a maioria?
Em 1997 dirigiu o adorável, embora à parte em aclamação dos dois anteriores, Jackie Brown, o que também lhe valeu uma reprimenda de Spike Lee, acusando o filme de excesso de natureza racista. Também os media o acusam da violência vigente nas suas obras, mesmo que Tarantino se manifeste como opositor tanto a ela como às drogas, outro tema recorrente na sua filmografia.

As suas últimas estreias, Kill Bill: Vol. 1 e Vol. 2, a saga da noiva vingativa Uma Thurman, sua musa, mostraram o amor incondicional que tem pelo cinema numa mescla de influências abundante. Já agora, as suas principais são Martin Scorsese, Brian De Palma, Sergio Leone, do qual tem O Bom, o Mau e o Vilão como filme preferido e Jean-Luc Godard.

Já tem dois projectos anunciados que não deverão tardar. Temos boas razões para boas expectativas.

® Artur Almeida

5 Comments:

At 9:12 da manhã, Anonymous S0LO said...

É um dos meus realizadores preferidos, sem dúvida :)!

Cumprimentos cinéfilos

 
At 8:22 da tarde, Anonymous Artur Almeida said...

De muita gente também e há razões para isso:) Mas acredito que ainda nos tem muito para dar!

Cumprimentos

 
At 8:05 da tarde, Blogger papagueno said...

É dos melhores realizadores do nosso tempo. Agora quando vejo os filmes dele lembro-me sempre de Sam Peckinpah. Acho que também há muitas influências do grande realizador americano no cinema de Tarantino mas raramente se fala delas.

 
At 11:27 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Olá sou fã dos filmes de Quentin Tarantino e resolvi fazer um blog sobre o filme "Grindhouse" , você poderia me ajudar a dilvulga-lo ??? se puder linkar tambem ? http://grindhousemovie.blogspot.com

Obrigado!

 
At 4:32 da tarde, Blogger José said...

Eu acho que este gajo, o Quentin, com aquele ar de parvo, que só o gajo sabe pôr, é um dos melhores realizadores da actualidade. Vejam o "Pulp Fiction", o filme é um marco impressionante no Cinema. Até este filme nós tinhamos um cinema, depois de "Pulp Fiction" temos outro. O gajo consegue congregar numa fita só todo o outro cinema que eu já tinha visto nos últimos 30 anos: Ford, Curtis, Samuel Fuller, San Pankimpack, etc., está tudo em "Pulp Fiction". Ainda bem que de vez em quando aparecem gajos destes, com ares aparvalhados mas génios de verdade.

zé do laranjeiro

 

Enviar um comentário

<< Home