domingo, junho 25, 2006

Mystic River

Título Original:
"Mystic River" (2003)

Realização:
Clint Eastwood

Argumento:
Brian Helgeland, com base no livro de Dennis Lehane

Actores:
Sean Penn – Jimmy Markum
Tim Robbins – Dave Boyle
Kevin Bacon – Sean Devine
Laurence Fishbourne – Sgt. Whitey Powers


Em 2001 o escritor Denis Lehane publicou Mystic River, um best-seller que Clint Eastwood leu e de imediato se interessou pela história. Poucos anos depois chegou às salas de cinema a adaptação cinematográfica de Eastwood, que conta com um elenco de luxo, destacando-se as interpretações marcantes dos três protagonistas: Sean Penn, Tim Robbins e Kevin Bacon. Interpretações essas que valeram a Penn o Óscar de Melhor Actor e a Robbins o Óscar de Melhor Actor Secundário.


A história tem lugar num típico bairro americano, situado na margem do rio Mystic em Boston, três rapazes: Jimmy, Sean e Dave jogam basebol. Após terem perdido mais uma bola, resolvem escrever os seus nomes numa parte da rua que estava a ser cimentada. Entretanto aparece um carro e eles são abordados por um homem que se apresenta como polícia e, depois de repreender os rapazes pelo estrago que tinham feito, obriga Dave a entrar no carro.


A narrativa dá um pulo de vinte e cinco anos. Adultos e separados pelo trágico acontecimento que lhes enegreceu a infância, os três antigos amigos voltam a encontrar-se devido ao assassínio de Katie (Emmy Rossum) a filha mais velha de Jimmy. O caso é entregue a Sean, agora polícia, e ao Sargento Powers, seu companheiro de investigação. Apesar do esforço e empenho de Sean, Jimmy decide investigar pelos seus próprios meios para poder vingar-se do assassino da sua filha com as suas próprias mãos. Já Dave, que vive diariamente atormentado pelos abusos sexuais que sofreu na infância, reaproxima-se de Jimmy devido ao parentesco que une as respectivas mulheres: Celeste (Marcia Gay Harden) e Annabeth (Laura Linney).


Um filme sobre amizade e vingança em que o realizador explora as consequências de uma ferida aberta na sociedade americana: a pedofilia, uma vergonha nacional que parece propositadamente abafada por outras realidades do país através dos media e provavelmente por mais altos poderes. Com as diferentes formas de investigação de Sean e Jimmy para encontrarem o assassino, Eastwood poderia ter transformado o filme num simples policial, no entanto resolveu acrescentar-lhe uma temática mais dramática e moralista. Mystic River faz-nos sentir o clima de melancolia e até o pessimismo que corroem a vida das pessoas num tempo e num espaço desprovidos de valores morais, em que tudo pode acontecer.


As personagens são marcadas por tudo isso. Dave é, naturalmente, o mais atormentado de todos, não conseguiu ultrapassar o seu trauma de infância, parece que o verdadeiro Dave deixou de viver no dia em que entrou no carro e agora o que vive em si é apenas uma mente atormentada por demónios interiores vindos do passado. Perante a morte de Katie, a dor faz com que Jimmy se questione sobre as contrariedades da vida e as suas tatuagens parecem o símbolo de um passado em que as coisas poderiam ter acontecido de outra forma. Sean parece ser o que mais conseguiu afastar-se de tudo isso, no entanto coloca a si mesmo a mesma questão de Jimmy: teriam as suas vidas seguido o mesmo rumo que seguiram se tivesse sido um deles a entrar carro em vez de Dave?

® Isabel Fernandes

1 Comments:

At 4:03 da tarde, Blogger Criswell said...

Um grande, grande filmaço de Clint Eastwood. Uma obra-prima contemporânea que perdurará na história do cinema durante muito tempo. Bela análise ;)

 

Enviar um comentário

<< Home