sexta-feira, dezembro 21, 2007

O Coleccionador de Olhos

Título Original:
"See No Evil" (2006)

Realização:
Gregory Dark

Argumento:
Dan Madigan

Actores:
Glen Jacobs - Jacob Goodnight/Kane
Christina Vidal - Christine
Michael J. Pagan - Tye
Samantha Noble - Kira


A história: um grupo de seis adolescentes do reformatório são enviados num programa de reabilitação para um velho hotel de seis andares, que sofreu um incêndio e foi fechado há 35 anos atrás. Agora a Câmara quer fazer dele um centro de acolhimento para os sem-abrigo, e em troca de um fim de semana de trabalho, a pena dos jovens é encurtada um mês. Claro que há um assassino com o tamanho do Hulk que habita o hotel e gosta de arrancar os olhos às suas vítimas.

Ninguém esperava um tratado, mas também... 35 anos depois de um incêndio, este hotel ainda tem electricidade, água corrente e elevadores que funcionam? E o que esperam que façam seis adolescentes de esfregonas durante um fim de semana, a um sítio que esteve ao abandono durante décadas? Só se entre eles estivesse o Rato Mickey Aprendiz de Feiticeiro (Fantasia, Disney, 1940), que transformasse centenas de vassouras e baldes de água em criaturas vivas e laboriosas.

Quanto à explicação para o facto personagem maléfico (que se chama Jacob Goodnight, mas ninguém se refere ao nome dele porque a única cena em que tal acontecia foi cortada na montagem final) arrancar os olhos às vítimas, é risível. Em flashbacks, vemos um menino que é forçado a viver uma gaiola e que se masturba com playboys (como as revistas chegam ao interior da gaiola é um mistério). A mãe diz-lhe: "Não vês que isso é pecado? Vê-se nos olhos delas!" E voilá, toca a arrancar olhos.

Quanto a Gregory Dark, é um realizador que vem da pornografia, onde dirigiu dezenas de títulos, incluindo a trilogia "Entre As Bochechas".

Uma única cena de jeito. Uma miúda decide descer em rappel pela fachada do hotel (a partir do 7º andar) e fugir, enrolada numa mangueira de bombeiros, mas a meio da descida Kane puxa-a novamente para cima. Até admira ter havido criatividade para tanto. Mas, atenção: é a única cena que vale a pena.

E fiquem atentos a uma curta cena pós-inicio dos créditos finais. Kane perdeu um olho na sua morte, e um cão vadio aparece para lhe urinar... precisamente através do buraco do olho.

® Ricardo Lopes Moura

2 Comments:

At 10:17 da manhã, Anonymous Rúben said...

boa crítica. concordo em vários pontos. agora, em relação a dizer que a única cena decente do filme é essa, discordo pois achei essa cena interessante, mas a burrice da mulher só me irritava. para mim, a melhor é mesmo a cena em que a zoe (a loira) é engasgada com o telemóvel. brutal, mesmo. ah e a "luta" final, entre os sobreviventes e o assassino também está engraçada.

cumprimentos

 
At 8:47 da tarde, Blogger Ricardo Lopes Moura said...

pois olha que, se devem ter passado apenas 3 meses desde que vi o filme, já nem me lembro dessa cena em que a loira é engasgada com o telemóvel ...

gostei bastante da cena da mangueira, achei que estava muito bem conseguida.

o resto ...

 

Enviar um comentário

<< Home