sexta-feira, junho 03, 2005

Uma História Simples

Título Original:
"The Straight Story" (1999)

Realização:
David Lynch

Argumento:
John Roach & Mary Sweeney

Actores:
Richard Farnsworth – Alvin Straight
Sissy Spacek – Rose Straight
Harry Dean Stanton - Lyle Straight


O filme Uma História Simples, de David Lynch e lançado em 1999 causou na altura alguma estranheza devido ao facto de ser um filme “normal” de um realizador, por norma, “anormal”. Confuso? Um pouco mas, para qualquer conhecedor da filmografia de David Lynch esta premissa é facilmente compreendida... depois de filmes ou séries como Lost Highway, Twin Peaks, etc, não deixou de ser peculiar ver um fime tão... simples! Ou será que não é tanto assim...

Esta pequena obra-prima narra a história baseada em acontecimentos verídicos de um homem, Alvin Straight, que em 1994, com 73 anos, faz uma viagem de mais de 500 quilómetros num pequeno tractor/cortador de relva para visitar o seu irmão gravemente doente, Lyle.

A dicotomia complexidade versus simplicidade pela qual o filme foi tão falado na altura é um exercício divertido de analisar no sentido em que, o que tem de simples ou normal uma homem de 73 anos viajar durante 6 semanas num pequeno tractor? Ele tinha a possibilidade de apanhar uma camioneta mas não, este homem decide fazer as coisas da forma mais difícil! E porquê... bom, esta é uma resposta a descobrir ao longo da obra. Mas por outro lado, o que tem de complexo um filme que é basicamente um road-movie com uma personagem idosa que tem muitos “fantasmas” por resolver na sua alma antes de chegar ao seu destino?

Aquilo que mais me agradou no filme quando o vi foi indiscutivelmente a sensação com que fiquei no final. Esta é uma obra que deixa-nos a pensar imenso sobre a vida mas, ao mesmo tempo, deixa uma sensação de alegria e esperança no coração. Ao ver este homem cumprir a sua viagem, sentimos a partir de certa altura a necessidade de concretizar algo semelhante na nossa vida. Sozinhos durante tempo incerto com todo o tempo do mundo para reflectirmos sobre tudo e sobre nada, sem o relógio a mandar em nós, apenas o homem com a natureza, a sua Casa, com a possibilidade de contactar com ele mesmo sem interrupções, sem obrigações...

A juntar às brilhantes interpretações (mais especificamente de Richard Farnsworth que injustamente perdeu nesse ano o óscar de melhor actor principal) somos agraciados por uma brilhante banda sonora (do eterno Angelo Badamenti), um espectacular fotografia (de Freddie Francis) e uma sublime realização de David Lynch (que consegue toda a riqueza visual típica dos seus filmes numa obra passada quase na sua totalidade em cenários exteriores).

Uma História Simples é uma obra essencial, digna dos mais rasgados elogios, que ninguém deveria perder. Apenas uma pequena ressalva em relação à edição nacional do DVD que, como tantas outras vezes acontece, é de fraca qualidade, especialmente no que diz respeito a extras.

Bons filmes e até para a semana...

® Bruno Sá

2 Comments:

At 9:55 da manhã, Blogger David Santos said...

simplesmente:

Magnifico!!!!

David Lynch supreendeu-me!

 
At 12:22 da tarde, Anonymous Cláudia Silva said...

Dizem as más línguas que Lynch estaria a fazer tratamento psiquiátrico quando fez este filme... O filme é mesmo comovente, como também comove o facto de o actor principal se ter suicidado pouco tempo depois da estréia, desesperado com as dores provocadas por um cancro nos ossos. Quanto à escassez de material extra nos DVD's dos filmes de Lynch, penso que é propositada - o realizador não gosta muito de comentar nem de explicar os seus filmes. Recentemente li uma entrevista em que ele diz que nem sequer autoriza a divisão dos DVD's em capítulos, pois os filmes foram feitos para serem vistos do princípio ao fim. (!!!)

 

Enviar um comentário

<< Home