segunda-feira, Agosto 29, 2005

A Residência Espanhola

Título Original:
"L'Auberge Espagnole" (2002)

Realização:
Cédric Klapisch

Argumento:
Cédric Klapisch

Actores:
Romain Duris - Xavier
Judith Godrèche - Anne-Sophie
Audrey Tautou - Martine
Cécile De France - Isabelle


Despretensioso, natural, satírico. Assim é A Residência Espanhola, uma película de 2002 que merece ser vista, pela interessante e cativante experiência cinematográfica que representa.
Xavier (Roman Duris) é, a par de tantos outros actores que fazem este filme, um quase ilustre desconhecido. De facto, e à excepção de Audrey Tautou (Martine) ou Cécile de France (Isabelle), até o próprio realizador, Cédric Klapisch, é uma presença praticamente incógnita no meio cinematográfico - o que não reduz, de todo, a qualidade e interesse deste A Residência Espanhola, que sem dúvida se destaca no agrupado de filmes sobre as "dores de crescimento" e problemas da passagem da adolescência/juventude para a vida adulta.

"A história começa exactamente aqui", é o que diz Xavier logo ao início, quando entre dúvidas acerca do caminho profissional a seguir resolve ir tirar uma pós-graduação a Barcelona. Para trás, deixa durante um ano Paris, a namorada Martine (Audrey Tautou), uma curiosa mãe hippie e um pai ausente mas com muitos projectos para o filho. E o "aqui" é uma odisseia na cidade espanhola que tem início logo no aeroporto, quando Xavier conhece um desequilibrado casal francês que acaba por o alojar na sua casa, também em Barcelona. Mas a procissão ainda só ia no adro...

A Residência Espanhola é o relato, em forma de documentário cómico - como bem o ilustram as passagens género vídeo caseiro e a montagem irrequieta - de um ano na vida de um grupo de estudantes de Erasmus, de várias nacionalidades, que se juntam numa mesma casa e aí partilham experiências de adaptação e expectativas de vida. Longe de ser demasiado profundo ou existencialista, esse relato mantém-se sempre na margem entre a naturalidade espontânea do quotidiano, com os seus acasos e tropeços, e o drama ligeiro, construído pela inadaptação pessoal de um jovem às voltas com o que desejava e o que deixa de repente de desejar, pouco motivado pela rotina da vida profissional que lutou para ter.

Com desempenhos que, infelizmente, não se destacam propriamente como cerne da película como todo - é muita gente para um filme só, e seria difícil dar notoriedade suficiente a todos -, L'Auberge Espagnole (assim é o título original) consegue no entanto atingir, nessa vertente, um grau mediano, até porque todos juntos os personagens proporcionam excelentes momentos de comédia ao espectador: Wendy (Kelly Reilly) e o seu peculiar namorado americano; o hilariante e chato William (Kevin Bishop), que protagoniza alguns dos melhores gags, sobretudo se tivermos em conta a divertidíssima cena homossexual;a própria mãe de Xavier (Martine Demaret), na sua passividade cómica.

Com produção franco-espanhola, A Residência Espanhola prima sobretudo pela experiência de realização e montagem a que assistimos, as quais conseguem reforçar a ideia de dinamismo jovem do filme, seguindo os personagens a um ritmo nunca cansativo nem uniforme. A par disso, a sua virtude óbvia é a relação estreita que estabelece com quem assiste, talvez porque traduz uma experiência real de vida, em que os protagonistas são jovens com ansiedades, emoções, percalços, que desde o início parecem inexplicavelmente estabelecer connosco uma agradável cumplicidade. À parte a faceta mais superficial, de ténue exploração da maior parte dos personagens e também de abordagem leve da experiência de convivência daqueles jovens (entre os quais assistimos a poucos ou nenhum conflito, quando, na realidade, nem sempre é assim tão fácil, mesmo que aqui até cheguemos a acreditar que eles simplesmente tiveram sorte), este é sem dúvida um excelente momento de cinema. Ligeiro, com algumas facilidades criadas, mas acima de tudo coerentemente distante de clichés, muitas vezes hilariante, cativante. Vidas reais... with "no surprises"...

® Andreia Monteiro

3 Comments:

At 11:04 da tarde, Anonymous S0LO said...

Não vi, mas estou curioso...

Cumps. cinéfilos

 
At 7:53 da tarde, Blogger Paulo said...

Diverti-me bastante ao vê-lo. É um filme com momentos bastante divertidos e penso que ao mesmo tempo conseguiu captar muito bem o espírito da situação que retrata, bem como uma certa angústia tão actual entre os jovens na altura da passagem à idade adulta. Uma óptima surpresa.

 
At 11:10 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Simplesmente genial...e muito divertido!

 

Enviar um comentário

<< Home