quarta-feira, junho 01, 2005

Treze - Inocência Perdida

Título Original:
"Thirteen" (2002)

Realização:
Catherine Hardwicke

Argumento:
Nikki Reed

Actores:
Evan Rachel Wood – Tracy
Nikki Reed – Evie
Holly Hunter – Melanie



Premiado no Festival de Sundance em 2003, Treze - Inocência Perdida oferece um peculiar olhar sobre a actual juventude urbana, apresentando um intenso retrato da entrada na adolescência. O filme foca as experiências de Tracy (interpretada pela brilhante Evan Rachel Wood, da série "Começar de Novo"), uma inteligente, simpática e aplicada jovem de 13 anos que começa a aperceber-se das crescentes dificuldades de integração no seu liceu.

Determinada a evitar a exclusão e a aparente invisibilidade de que é alvo, Tracy opta por alterar a sua conduta habitual e inicia uma série de comportamentos inéditos e atípicos até então, na tentativa de conquistar o respeito e a atenção dos que a rodeiam, particularmente de Evie, a jovem mais popular da escola. Treze ilustra a complexa, conturbada e dolorosa espiral de novas experiências vividas por Tracy, focando detalhadamente as esferas de influência que orientam os primeiros passos na adolescência e que geram um repentino desejo de afirmação.

Catherine Hardwicke engloba nesta obra diversos elementos indissociáveis dos jovens de hoje, desde a predominância dos telemóveis, o interesse pela moda, o poder das estrelas pop difundidas via MTV, o fascínio das drogas e do álcool, a desagregação familiar e as condicionantes da iniciação sexual. Ao contrário de múltiplos filmes e séries juvenis recentes, Treze recusa uma visão leve e açucarada da adolescência, antes privilegia um olhar mais realista, ambíguo e desencantado do determinante processo de crescimento.

Servido por uma realização dinâmica e efervescente, misto de videoclip e documentário, associada a uma banda-sonora igualmente enérgica e trepidante, Treze consegue criar uma linguagem cinematográfica particular e absorvente, traduzindo um forte apelo visual e sonoro. O resultado torna-se ainda mais convincente quando associado a uma sólida direcção de actores, em particular Holly Hunter no papel de jovem mãe da protagonista.

O filme-estreia de Catherine Hardwicke proporciona uma visão credível e realista da juventude actual (ou, pelo menos, de parte dela), distante dos habituais "filmes-para-adolescentes" que se centram em romances previsíveis e moralistas ou em fórmulas de comédia algo gastas e rotineiras. Treze estará mais próximo de algumas emblemáticas obras cinematográficas recentes como o melancólico As Virgens Suicidas de Sofia Coppola, o intenso L.I.E. - Sem Saída de Michael Cuesta, o irónico e ácido Ghost World - Mundo Fantasma de Terry Zwigoff ou os perturbantes Ken Park e Bully de Larry Clark (que realizou ainda Kids - Miúdos, um dos mais viscerais filmes sobre adolescentes dos anos 90 e um dos que ajudou a gerar um subgénero no qual Treze se pode integrar).

Treze - Inocência Perdida passou algo despercebido entre nós, no entanto justifica que seja descoberto por aqueles que não tiveram oportunidade de o ver no início de 2004, dado que se trata de um inovador e muito recomendável retrato da teen angst actual. Uma das boas surpresas do ano passado.

® Gonçalo Sá

1 Comments:

At 11:55 da tarde, Anonymous tino said...

Adorei o filme. As gajas são mesmo sexys, mas juntas parecem mesmo lésbicas. Aconcelho até aos putos de 4 anos...para aprenderam a gostar de ver mamas...

 

Enviar um comentário

<< Home