sexta-feira, maio 06, 2005

Veio do Outro Mundo

Título Original:
"The Thing" (1982)

Realização:
John Carpenter

Argumento:
Bill Lancaster & John W. Campbell Jr. (história original)

Actores:
Kurt Russel – R. J. Mac Ready
Keith David – Childs
Wilford Brimley - Dr. Blair



Quando foi lançado em 1982 Veio do Outro Mundo foi um gigantesco fracasso, não só nas bilheteiras como também junto dos críticos. Baseado na história “Who Goes There?” de John W. Campbell Jr. esta obra de John Carpenter ficou durante vários anos em “banho-maria” até finalmente ter atingido o estatuto de “obra de culto” que, afirme-se, é mais que justo! Uma das razões pelas quais o filme acabou por ter uma péssima recepção na altura prende-se por um lado com o “politicamente correcto” E.T. que foi lançado nesse mesmo ano e por outro lado com os efeitos especiais, extremamente realistas, que levaram inclusíve à Universal a pedir que o filme fosse passado numa sala junto a casas de banho para o caso dos espectadores desejarem vomitar!

Veio do Outro Mundo relata o pesadelo vivido por uma equipa americana de investigadores que encontra-se num posto de observação na Antártida. Quando um ser alienígena é descoberto a tentar possuir um dos membros o caos instala-se e inicia-se uma dura e cruel luta pela sobrevivência. A grande questão que paira sobre a equipa é qual deles estará possuído pelo “alien”, uma vez que este tem a capacidade de transformar-se em qualquer ser após possuir este!

Quatro anos após Halloween e dois após The Fog John Carpenter volta a fazer as delícias dos seus fâs dentro do género thriller/terror naquela que é muito provavelmente a sua melhor obra do género. Para além da sólida interpretação de Kurt Russel e restante elenco e dos fantásticos efeitos especiais o que acaba por sobressair mais neste filme é o agreste ambiente no qual a acção decorre que, faz-nos viver ainda mais intensamente a paranóia dos protagonistas na sua constante desconfiança entre eles, e a surreal e claustrofóbica música de Ennio Morricone que adensa ainda mais o terror a que estámos sujeitos. Visto hoje, entende-se em parte o porquê desta obra ter sido tão mal recebida na altura. Dada a actualidade deste filme passados mais de 20 anos desde a sua estreia acabámos por ter a sensação que este estava um pouco à frente no seu tempo nalguns dos territórios que explora. Não estámos de facto perante um filme de terror baseado no seu “gore” mas antes na sua forte componente psicológica, a solidão do território, a sensação que todos na equipa podem ser culpados, etc.

Um filme aconselhado a todos que adorem o género sem qualquer tipo de reservas.

® Bruno Sá

3 Comments:

At 7:04 da tarde, Blogger Duarte said...

Que coincidência do caraças. Acabei de rever o filme hoje à tarde. Great stuff!

 
At 2:43 da tarde, Anonymous Nelson Veloso said...

Bem apanhei este filme um destes dias na SIC RADICAL lá para 2 da matina e não foi fácil vê-lo sozinho... Muito bom, sobretudo tendo em conta que já vai quase com 30 aninhos... Terror psicológico pontuado por umas cenas de gore surreais. Para quem gosta de terror aconselho vivamente. Fiquem bem

 
At 10:31 da tarde, Anonymous Geist said...

Um filme que marcou me marcou. John Carpenter é o Deus dos filmes de terror

 

Enviar um comentário

<< Home