segunda-feira, setembro 25, 2006

Identidade Kubrick

Título Original:
"Colour Me Kubrick" (2005)

Realização:
Brian W. Cook

Argumento:
Anthony Frewin

Actores:
John Malkovich - Alan Conway
Tom Allen - Charles
Scott Baker - Waiter
Nick Barber - Denzil


Durante meses, Alan Conway (John Malkovich), um perfeito estranho, faz-se passar por um dos maiores realizadores de todos os tempos: Stanley Kubrick. Conway não conhece nada nem do cineasta nem dos seus filmes, mas isso não o impede de usar e abusar da ingenuidade daqueles que julgam estar junto do realizador mítico e discreto. Hilariante, patético, inacreditável e portanto autêntico, aqui está a fascinante história do impostor, do génio e da celebridade...

Parece surreal, mas de facto aconteceu. Este homem de maneirismos e tendências excêntricas, de nome Alan Conway, durante bastante tempo fez-se passar pelo génio da sétima arte, o brilhante realizador Stanley Kubrick. Este episódio é-nos relatado pelo realizador Brian W. Cook, assistente de direcção de Kubrick, no seu derradeiro filme Eyes Wide Shut.

Alan Conway é interpretado por John Malkovich de forma brilhante, criando um personagem bizarro e com um tremendo descaramento, pois não conhecendo detalhadamente o trabalho de Stanley Kubrick, nem tendo sequer semelhanças físicas com o cineasta, conseguiu muitas vezes o seu intento, enganando as suas “vítimas”, convencidas que o grande mestre da sétima arte queria ser amigo delas (!).

Coloco aqui a palavra “vítima” entre aspas, porque não sei até que ponto se podem considerar vítimas todas essas pessoas enganadas por Conway. Isto, porque todas elas também tinham algum tipo de interesse meramente individual em se aproveitar do pseudo-cineasta e assim tirar proveito do facto de estarem próximos dele.

O realizador Brian W. Cook escolhe este caminho, o de apresentar esta dualidade ao espectador que no fim terá de escolher quem é a vítima. Alan Conway é um looser e esta forma de ser é um escape para a frustração que é a sua vida. Não tem ninguém, não tem dinheiro e a forma de o conseguir é fazer-se passar por… Stanley Kubrick, para obter os mais variados proveitos que não passam exclusivamente por proveitos financeiros.

A nível de realização, pouco há a acrescentar. È sempre bom ouvir os temas mais significativos da obra de Kubrick a acompanhar diversas cenas e as inúmeras alusões a cenas chave dos seus filmes. Sobretudo para fans de Kubrick sabe bem esta piscadela de olho à sua obra. Como objecto fílmico, limita-se a contar a história desse homem, história bizarra, mas real. Alan Conway morreu pouco antes de Eyes Wide Shut estar finalizado, de ataque cardíaco. O verdadeiro Kubrick faleceu pouco depois. Coincidência bizarra…

® Sérgio Lopes

2 Comments:

At 8:00 da tarde, Blogger Marcus Vinícius said...

É, pelo jeito vale apenas pela curiosidade mesmo. Relacionado ao Kubrick, sempre vale uma olhada.

Abraços Tricolores!

:D

 
At 1:14 da manhã, Blogger cine-asia said...

Sim, amigo Marcus. Na minha opinião, exclusivo para fans de Kubrick!

Abraço

 

Enviar um comentário

<< Home