domingo, outubro 02, 2005

Realizador da Semana: Sam Raimi

Há um bom tempo atrás era fácil saber se um filme era dirigido por Sam Raimi. Bastava que a proporção de sangue e humor estivesse nos 50%. Já há uns anos que este realizador de culto de terror dos anos 80 – um dos principais – se demarcou desse seu género que lhe proporcionou uma reputação muito querida por cinéfilos de todo o Mundo que teima em não desaparecer. A dita reputação, construída em tempos saudosos, e que inabalável parece, aliou-se há não muito tempo a um tremendo êxito Hollywoodesco, um paralelo deveras curioso que para muitos se tem revelado frutífero.

Nascido a 23 de Outubro de 1959 em Michigan, Estados Unidos, Samuel Marshall Raimi começou logo aos 8 anos a fazer filmes com uma câmara de 8mm. Depois de realizar três curtas-metragens cheias de sangue e mistério já mais a sério, mas ainda antes dos 20 anos, este ávido fã dos Três Estarolas estreou-se ainda mais a sério – longas-metragens – com um dos principais filmes de culto de sempre, Evil Dead, um selvagem e cómico over-the-top horror movie, que teria como sequelas Evil Dead II, um divertimento demente que se mostrou ainda mais cómico e rentável que o original e O Exército das Trevas, o tomo final da visualmente virtuosa saga, uma bizarria medieval premiada no Fantasporto com o Prémio da Crítica. Entre a execução da trilogia, Raimi tinha dirigido outros dois filmes: Crimewave, uma comédia negra cheia de acção escrita com os irmãos Coen e Vingança sem Rosto, um retrato vingativo que mistura acção, terror, ficção científica, entre outros.
Em 1995 foi a vez de Rápida e Mortal, um western onde o que mais se destacava era o elenco galáctico. Seguiu-se O Plano, um drama criminal intenso onde o poder do dinheiro dinamitava a serenidade e a energia moral das personagens.
Os seus dois filmes nos dois anos seguintes não deram muito nas vistas. Eram eles: Por Amor, um drama romântico desportivo, e O Dom, um drama de terror e mistério de teor sobrenatural. Então chegaram Homem Aranha e Homem Aranha 2, as tão badaladas adaptações da banda desenhada homónima, que renderam autênticos balúrdios e encheram as medidas a imensos fãs do aranhiço, não esquecendo a boa recepção crítica.

“Gostava de ter realizado O Mundo a Seus Pés e não o Evil Dead, mas não foi assim.” Palavras de um Raimi algo desiludido mas… quantos realizadores não queriam estar na sua pele?

® Artur Almeida

9 Comments:

At 2:55 da tarde, Anonymous André Carita said...

Apesar de não ser um dos meus realizadores preferidos, alguns filmes de Sam Raimi agradaram-me imenso e eu cresci com alguns deles (Evil Dead por exemplo), acabando por me marcar a minha bela infância! :)
Desde que iniciou a sua carreira tem contribuído imenso para o cinema conseguindo inovar e aprofundar novas técnicas de filmagem, especialmente neste último de Spider Man!

Os meus melhores cumprimentos! :)

 
At 3:12 da tarde, Blogger membio said...

é isso mesmo André! Sou da mesma opinião! A trilogia Evil Dead e o Homem-Aranha estão os meus favoritos filmes, ponto final....

 
At 6:07 da tarde, Blogger Daniel Pereira said...

Não conheço a primeira fase dele, série B. De resto parece ser um bom realizador, ultimamente com a surpreendente saga "Homem Aranha". Mas "O Plano" é talvez o melhor filme que vi dele, retratando bem um certo comportamento humano. "Rápida e Mortal" por seu lado é bastante mau.

 
At 6:55 da tarde, Anonymous Artur Almeida said...

Olá a todos,

André Carita: O Exército das Trevas também marcou a minha infância e continua a funcionar bem. Quanto à inovação e aprofundamento das técnicas de filmagem, concordo, pois até os irmão Coen, seus amigos, "roubaram-lhe" algumas.

membio: eu não ia tão longe mas compreende-se o entusiasmo:)

Daniel Pereira: Da sua fase série B só consegui ver também O Exército das Trevas. Quanto à saga Homem Aranha, não sou dos maiores fãs mas agradar, agrada-me. Já me disseram maravilhas de O Plano, mas ainda não consegui ver. E concordo contigo quanto a Rápida e Mortal, foi uma mancha na carreira.

Cumprimentos a todos

 
At 12:18 da tarde, Blogger Francisco Mendes said...

É o criador de uma trilogia que idolatro: "Evil Dead". O seu trabalho com "Spider-Man" também é muito competente.

Cumprimentos.

 
At 5:43 da tarde, Blogger gonn1000 said...

Não gostei de "Darkman" nem de "Army of Darkness", "The Plan" não me convenceu por completo, mas a saga "Spiderman" tem sido muito bem concebida...

 
At 8:53 da tarde, Anonymous Artur Almeida said...

Olá,

Francisco Mendes: Faltam-me ver os dois 1ºs capítulos de Evil Dead, mas espero também tornar-me enorme fã da saga em geral, coisa que com Spider-Man não vai lá, mas que não desgosto, pelo contrário.

gonn1000: Acho que o Army of Darkness funciona bastante bem com os seus intentos, embora DEVA ser o mais fraco da trilogia. Já a saga Spider-Man não me arrefece, mas também não me aquece assim TANTO.

Cumprimentos

 
At 8:46 da manhã, Blogger o velho said...

Bem, nunca vi "Evil Dead", mas pelo que vejo talvez valha a pena procurá-lo num videoclube. Comparando "Rápida e Mortal" (realmente com um elenco de luxo: Sharon Stone, Gene Hackman, Russel Crowe e Leonardo DiCaprio), aos dois filmes do "Homem-Aranha", realmente nem parecem do mesmo realizador. Considero "Homem-Aranha II" superior ao primeiro em termos da narrativa fílmica, mais centrada na temática humana, um jovem a quem os seus poderes de super-herói estavam a custar-lhe a vida normal de outrora e as pessoas que amava. Quase sempre os super-heróis são-nos mostrados como sempre aceitando os seus super-poderes (excepção para "O Quarteto Fantástico), e neste filme vemos que ser herói nem sempre é uma bênção. Que Sam Reimi saiba aproveitar a sua onda de sucesso para nos surprender com novos e melhores filmes.
Cumprimentos, Isabel Fernandes

 
At 11:22 da tarde, Anonymous Marafado said...

Sam Raimi marcou a minha juventude atravez da trilogia Evil Dead.Ainda hoje estes filmes são do que se fez dentro deste género.Quanto à sua ultima fase, mostra que não é um realizador banal e é muito bom técnicamente.

 

Enviar um comentário

<< Home