sexta-feira, novembro 25, 2005

Balas e Bolinhos - O Regresso

Título Original:
"Balas e Bolinhos - O Regresso" (2004)

Realização:
Luís Ismael

Argumento:
Luís Ismael

Actores:
Luís Ismael - Tone
Pedro Carvalho - Ximenes
Joao Castro - Bifes
J.D. Duarte - Quim Culatra


Balas e Bolinhos – O Regresso pode à primeira vista parecer uma estranha escolha como filme a comentar mas, na realidade, a decisão foi acima de tudo tomada tendo em conta o objectivo desta crítica. Esta obra é de qualidade discutível, feita com meios precários e mil e um outros defeitos(?) mas, para o melhor e o pior foi o segundo filme português mais visto do ano passado, logo atrás de Sorte Nula! E o mais interessante é que ambos atingiram mais de 40,000 espectadores sendo que todos os restantes filmes portugueses ficaram muito abaixo destes resultados!

40,000 espectadores é um resultado muito fraquinho se tivermos em linha de conta que o filme mais visto de 2004 em Portugual foi Shrek 2 com mais de 650,000 espectadores!!! Isto significa que algo vai muito mal com o cinema Português mas tal não é novidade para ninguém! O que aqui importa sublinhar é que o 2º filme Português mais visto em 2004 esteve em pouco mais de meia dúzia de salas de cinema e não teve 1 cêntimo que fosse de apoio do estado... filmes como o já aqui comentado esta semana O Milagre Segundo Salomé, independentemente da sua qualidade, teve um resultado muito fraco nas bilheteiras e teve direito a uns milhares de euros da parte do estado para o seu financiamento.

Qual então a conclusão a chegar a partir de estes dados (e tudo o resto já mais que sabido do que é o cinema Português)? Muito honestamente algo está muito mal e a solução, na minha humilde opinião, está bastante próxima de nós! A França, há mais de uma década, tem vindo a seguir um caminho bastante interessante e que, devidamente adaptado, poderia dar resultados muito bons em Portugal. A sua intensa aposta em filmes ditos “Hollywoodescos” (Taxi, Ásterix et Óbelix, entre muitos outros) tem rendido milhões, não só no mercado interno como igualmente no externo. Será que o sacrifício(?) vale a pena? Pois com certeza que sim, principalmente num país como o nosso que não tem pura e simplesmente grandes apoios de um estado que, para todos os efeitos, está practicamente falido! A solução passa então pela aposta num cinema mais comercial, bem feito, sem as lamechices do costume, sem o ritmo llleeeennnnnttttooooooo tão caracterizador dos nossos produtos, para que desta forma comece a haver um cinema autónomo, com a capacidade de gerar dinheiro para que haja espaço para filmes “chiclete” e, ao mesmo tempo, para o bom cinema, de qualidade que pouco ou nenhum público atrai. A continuar tudo na estagnação que vivemos, continuaremos a ter mais do mesmo, mais dos realizadores do costume e a horrível visão de realizadores, cheios de potencial, sem possibilidades de demonstrar o que valem. Isto é apenas parte do problema pois poderiamos falar do péssimo marketing que por norma caracteriza o cinema Português, a qualidade dos argumentos, os lobbies instalados, etc. Regressando agora ao filme em si...

... Balas e Bolinhos – O Regresso é um filme parvo, com um argumento(?) de qualidade muito discutível, actores, também eles, de qualidade discutível, etc! Aceitar sem complexos alguns o filme, independentemente da qualidade, acabámos por descobrir que diverte que é uma coisa louca. Foi o fruto do amor por um projecto de Luis Ismael que há custa de muitos esforços e da amizade dos actores(?) principais conseguiu atingir um objectivo absolutamente impensável para quem tivesse acompanhado o evoluir desta obra. A inteligente utilização dos espaços fornecidos pela Sic Radical para curta-metragens merece ser louvada tal como a luta desmesurada protagonizada por todas as pessoas envolvidas no filme.

Balas e Bolinhos – O Regresso apresenta-se assim como um filme interessante pela novidade, descomplexado e muito, mas muito, honesto. Podem até questionar o próprio facto de chamar-se a esta obra um filme mas, a todos que ainda não o tenham visto, principalmente tendo em conta tudo o que foi conseguido e da forma como foi conseguido, Balas e Bolinhos – O Regresso merece 10 estrelas pelo esforço.. como filme, a conversa já é outra! Mas se houvesse mais iniciativas como esta... quem sabe?

Até para a semana e bons filmes...

® Bruno Sá

17 Comments:

At 1:27 da tarde, Blogger membio said...

apesar de todas as falhas diverti-me com as parvoíces dos actores e louvo a sua coragem em tornar possível este projecto... Portugal tem de apostar no chamado filme pipoca, senão fica tipo unha encravada e ninguém vai ver os filmes portugueses. É de bater palmas a filmes que apesar de serem pobres no argumento, divertem, como é o caso de Sorte Nula, o Pesadelo Cor-de-Rosa, Inferno ou até mesmo a curta premiada de zombies, I'll see you in my dreams. Vamos lá a fazer filmes pipoca, carago!!!!!

 
At 1:19 da tarde, Anonymous S0LO said...

Concordo. Antes fazermos filmes destes do que não fazermos nada!

Abraços

 
At 4:48 da tarde, Anonymous Anónimo said...

bem este filme de parvo axo que nao tem nada .so pode ser parvo para quem nao conhece a realidade portuguesa ,este filme é talves o filme feito nos ultimos tempos que melhor retrata a realidade potuguesa especialmente ,um portugal periferico de espaços pobres a nivel arquictonico e sem qualidade de vida ondo espaços fronteira do rural e a cidade,as personagens especialmento rato é um grande actor .quanto ao resto especialmente a historia do filme é concordo com o cumentario é pobre .espero que continuem e tenham apoios ..porque a para ai muito apois a filmes de merda como por exemplo aquele palete de filmes feitos pela sic a uns anos atras e outros que sao o oposto destes e exageram no hermetismo Pseudo-intelectuais

 
At 4:37 da tarde, Anonymous Anónimo said...

voces saop um maximo adorei o primeiro filme e o segundo. espero que continuem assim. bjx

 
At 3:53 da tarde, Anonymous Anónimo said...

exte filme esta mesmo muito fixe adorei acho k foi o melhor filme k fizerão até agora

 
At 2:36 da manhã, Anonymous Anónimo said...

muito sinceramente, este foi sem d´vudiva o melhor filme que vi até hoje! muito original, e com palavrões que é o que falta hoje em dia.. um filme natural!!! toda a gente diz palavrões, e este filme é o sinonimo disso mesmo.. NATURAL!! muito bom!! fui velo ao cinema e tenho o DVD :) venham mais "balas & bolinhos...

 
At 9:40 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Caralho, foda.se tone és do caralho..
papa k é jija... gand filme.. bjs e abraços

 
At 11:08 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Balas e bolinhos grande filme
gostava de saber o nome da musica do inicio ai punheta punheta
Parabens pelo filme ke aja proximo

 
At 6:58 da tarde, Blogger Tânia Silva said...

Sabendo da realidade em q foi feito este filme só tenho a dar os meus parabéns a todos os que o tornaram possível... Mesmo sem que todos os actores fossem profissionais, todos os 4 que fizeram os personagens principais estiveram muito bem. É preciso ressaltar o talento de Jorge Neto, o Rato, é um actor com uma capacidade imensa de improviso e muito bom em teatro também.
Este filme retrata sim e muito bem os chamados cromos da periferia do Porto. Por mim, nota 10 **********.

 
At 4:39 da manhã, Blogger Jorge Lemos said...

É um filme impressionante que fica como uma marca para toda a vida. Um trabalho elaborado com magnífica inteligência e cuidado nos detalhes, embora numa primeira análise, não o deixe transparecer. Ou seja: parece um filme básico e elementar mas no final de contas é um filme de grande mestria. Funciona como uma referência, na medida em que não era possível fazer melhor com tantas limitações de orçamentos e tão poucos apoios. Está provado que a genialidade não tem preço. É, sem margem para dúvidas, Portugal e a Arte no seu máximo expoente. É diversão pura... funciona quase como uma droga. É alegria na sua forma mais simples e poderosa... a verdade e honestidade máxima na esfera da representação.
Não vale a pena estar com mais adjectivações porque todas as palavras serão insuficientes para qualificar um trabalho desta importância.
Honra seja feita à qualidade do nosso cinema em Portugal. Temos grandes referências e em situação alguma ficamos desfavorecidos em relação ao cinema internacional... só nos magros orçamentos. Mas são as nossas políticas futebolísticas enraizadas no poder. Confesso, no entanto, que, neste género de filmes, foi o melhor que já vi. Rebentou com a escala, inequivocamente.
Os meus sinceros parabéns a toda a equipa e obrigado "Balas e Bolinhos". Vocês são o MAXIMO!

 
At 11:36 da manhã, Anonymous Anónimo said...

sem ponta de dúvida, na minha opinião claro, o melhor filme português da actualidade!
Balas & Bolinhos 2 - O Regresso conseguiu surpreender-me, pelo facto de ser muito melhor que o 1º filme desta sequela. parabéns ao realizador pela óptima performance!
Para mim um ponto alto do filme é sempre o inicio e o fim. Neste filme os dois foram absolutamente geniais!

 
At 12:36 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Foda-se Tone, granda malha, qual Britcom qual caralho....

 
At 1:44 da tarde, Anonymous Anónimo said...

fui ver este filme ao cinema e comprei o DVD original, para quando o 3

 
At 1:06 da manhã, Anonymous Miguel said...

Para quem foi 4 vezes ao cinema e comprou o dvd o filme nao é assim tao mau. Simplesmente 5 estrelas

 
At 2:41 da tarde, Blogger Nuno Ribeiro said...

Quem disser mal deste filme... tem que vir aqui ao menino...! sim, aquiiii ao menino!
Grande filme, parco em dinheiro, mas bom na ideia, alegre, descontraído e que espelha bem a realidade do nosso país. Os pseudo-intelectuais do cinema que fazem os filmes com a ajuda de verbas do estado que geralmente não têm nada a dizer, destinando-se estes ao público alvo das "elites", haviam de lá ter o tone a perguntar; - Queres em euros ou em chumbo?

 
At 7:05 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Epá, mas cáis falhas, cáis pobreza de argumento, cáis actores fraquinhos, cáis quê!! Genial, simplesmente genial. Porque raio é que tem sempre bem frisado que -apesar de ser bom, isto ou aquilo!! Filmes do Outro, que de dez em dez minutos há uma fala, de meia em meia hora muda de cenário, desse toda a gente diz maravilhas, digam-me como pode Manoel de Oliveira ser um Génio e estes homens um bando de "pobres". Na me lixem. Força, fossem todas as "grandes produções nacionais" assim com erros destes e estavamos todos felizes e culturalmente melhores. Sim porque se os filmes do Oliveira são cultura...vai lá vai

 
At 12:07 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Tudo sobre o novo filme da saga BALAS E BOLINHOS em

www.balas3.com

e

http://www.facebook.com/pages/Balas-Bolinhos-o-último-cap%C3%ADtulo/168886366497620

 

Enviar um comentário

<< Home