sábado, abril 16, 2005

Linha Mortal

Título Original:
”Flatliners“ (1990)

Realização:
Joel Schumacher

Argumento:
Peter Filardi

Actores:
Kiefer Sutherland - Nelson Wright
Julia Roberts - Rachel Mannus
Kevin Bacon - David Labraccio
William Baldwin - Joe Hurley
Oliver Platt - Randy Steckle



Linha Mortal está provavelmente no top 10 dos filmes que mais me marcaram. Com mais de uma década de existência é um daqueles filmes que não me canso de ver nem lhe dou grandes possibilidades de passar grandes temporadas fechado num armário.
Este filme com a presença, na minha humilde opinião, de três dos melhores actores que Hollywood teve e tem o prazer de conhecer: Mr. Kiefer Sutherland, Julia Roberts e o Mr. Kevin Bacon. Devo dar antes de mais especial destaque a Sutherland pela espantosa representação.

Cinco ambiciosos estudantes de Medicina, decidem descobrir o que existe para lá da morte. Através de experiências, descobrem o modo de ir para lá da barreira da vida. Provocam então a morte clinica, com a ajuda dos colegas, e regressam às suas vidas. As visões que têm para lá da linha mortal, fazem-nos querer estar mais e mais tempo do outro lado.
Quando regressam, os seus maiores pesadelos regressam às suas vidas, perseguindo-os por todo o lado, não deixando-os dormir. É então que se apercebem que é muito perigoso tentarem ser Deus, e que estas experiências lhes trouxeram o inferno.
É então que descobrem que a causa dos seus pesadelos, são os seus maiores erros, e tentam tudo para repara-los.

Linha Mortal é um filme denso, tenso e muito sombrio recheado de suspense. As piores acções que cometemos em crianças, mais tarde ou mais cedo irão acordar-nos numa noite qualquer. Quem vê este filme não lhe fica totalmente indiferente, pois trata num dos assunto que a nós, comuns mortais, mais assusta. Muitos de nós passamos a vida questionando o que se passará para lá da linha da vida e da morte. Diz-se que muitos já regressaram desse sítio, ou desse estado. O que está para lá da linha da vida e da morte, ninguém sabe ao certo. O que é certo é muito perigoso inverter a ordem natural das coisas, e querermos saber o que nos vai acontecer quebra sempre a magia natural do decurso da vida... O que está para lá da vida ... neste momento não me interessa. Quando lá chegar irei “viver” tudo ao natural, sem condicionalismos ... Depois ... logo vos contarei o que se passa do lado de lá da linha.

® Inês Montenegro

1 Comments:

At 1:51 da tarde, Blogger David Santos said...

tem sido mto mal tratado este filme.

Também me marcou, principalmente em termos de fotografia pelo sr Jan De Bont, talvez uns dos seus melhores trabalhos que marca bastante o filme.

Provavelmente um dos melhores filme de Joel Schumacher.

David (Matiné)
http://www.matine.blogspot.com

 

Enviar um comentário

<< Home