quinta-feira, agosto 10, 2006

Orgulho e Preconceito

Título Original:
"Pride and Prejudice" (2005)

Realização:
Joe Wright

Argumento:
Jane Austen & Deborah Moggach

Actores:
Keira Knightley - Elizabeth 'Lizzie' Bennet
Matthew MacFadyen - Mr. Darcy
Brenda Blethyn - Mrs. Bennet
Judi Dench - Lady Catherine de Bourg


Já por diversas vezes adaptado para o cinema e televisão, o aclamado e explorado romance de Jane Austen: Orgulho e Preconceito, foi novamente adaptado para a grande tela por Joe Wright, um realizador estreante em longas metragens. E para primeira experiência neste campo, não se saiu nada mal...

O filme conta-nos a história das cinco irmãs da família Bennet que foram criadas pelos pais apenas com uma intenção: encontrarem um marido rico e interessante que as possa sustentar para o resto da vida. É então que um milionário solteirão se muda para perto da mansão Bennet e começam os encontros e desencontros amorosos, recheados de alguns mal-entendidos e das picardias do costume, acompanhadas do bom, velho estilo de "Quanto mais me bates, mais gosto de ti".

Joe Wright apresenta-nos uma realização bastante competente, de onde se destacam as diversas cenas em que a câmara segue as diversas personagens - o que revela nítidas inspirações em conceituados realizadores como Martin Scorsese ou Gus Van Sant. E embora, como é óbvio, não tenha a qualidade destes, a sua realização consegue ser bastante segura e inspirada ao longo de toda a projecção.

Igualmente inspiradas são as interpretações. Keira Knightley parece ter nascido para protagonizar obras de época e em Orgulho e Preconceito volta a provar isso mesmo, dando á sua personagem Elizabeth Bennet a vivacidade, alegria, imprevisibilidade e a beleza que lhe eram exigidas, numa papel que lhe valeu a justa (mas surpreendente) nomeação para o Óscar de Melhor Actriz Principal. Ela é realmente a alma de todo o filme, mas não está sozinha nesta tarefa.

Os veteranos Judi Dench, Donald Sutherland e Brenda Blethin e os mais jovens Matthew Macfayden, Talulah Riley, Rosamund Pike, Jena Malone e Carey Mulligan também a acompanham nesta história de amor. Destacam-se os dois primeiros que parecem estar em cada vez melhor forma, principalmente Sutherland que aqui nos presenteia com uma das suas melhores interpretações na sua já longa carreira.

Orgulho e Preconceito também merece nota positiva pela belíssima banda sonora de Dario Marianelli, direcção artística de Sarah Greenwood, guarda-roupa de Jacqueline Duran e fotografia de Roman Oshin. Foi inclusivamente nomeado para os Óscares deste ano nas três primeiras categorias referidas. Mas não é uma obra perfeita, longe disso. Os diálogos são muito bons, mas por vezes parece alargar-se mais do que devia em certas cenas e encurtar-se noutras. É, no entanto, daqueles filmes que nos deixa agradavelmente bem-dispostos ao sair da sala. Vale a pena ver, mesmo para quem já esteja familiarizado com a história.

® Mário Lopes

3 Comments:

At 4:01 da tarde, Blogger Poeta Fingidor said...

Na minha humilde opinião, um dos filmes mais fracos que estreou em 2006. E aquela protagonista...

 
At 4:13 da tarde, Blogger Gustavo H.R. said...

Um ótimo filme, romance aprazível e sólido como poucos outros.

Cumps.

 
At 4:54 da tarde, Blogger Deise said...

Esse filme é muito bom. Ele não é cansativo. E dá vontade de assistir várias e várias vezes.
É muito lindo!

 

Enviar um comentário

<< Home