sexta-feira, janeiro 06, 2006

Era Uma Vez Um Rapaz

Título Original:
"About a Boy" (2002)

Realização:
Chris Weitz & Paul Weitz

Argumento:
Peter Hedges, Chris Weitz, Paul Weitz & Nick Hornby

Actores:
Hugh Grant - Will
Nicholas Hoult - Marcus Brewer
Rachel Weisz - Rachel



Após o final da época festiva e começando um novo ano a dificuldade para encontrar o primeiro filme a comentar de 2006 foi complicada. O filme escolhido (por sorteio) acabou por ser About a Boy.

Quando este filme veio à tona pela primeira vez muitas eram as vozes que nada de bom agoiravam. A obra era baseada no livro homónimo de Nick Hornby e o facto dos realizadores (Chris e Paul Weitz) serem os mesmos de American Pie, o protagonista (Hugh Grant) começar a ser visto como um actor que estava a perder o seu charme (chegou ao ridículo de se dizer que sem a sua imagem de marca, o cabelo (que foi cortado para este filme), o actor perdia aquilo que lhe dava sucesso), etc. Assim o filme, aparentemente, estava destinado a ser um fracasso. Bom, não vou dizer que estava muito confiante no resultado final. Conhecia muito bem o romance e, se a teoria do actor não colava comigo pois sentia que Hugh Grant conseguia fazer outros papéis que não os das típicas comédias românticas que protagonizava, os realizadores terem a capacidade de realizar devidamente o filme era uma outra história...

About a Boy conta a história de um homem que, não possuíndo quaisquer responsabilidades, vive uma vida de ócio em que as suas preocupações limitam-se ao cabelo, a ver televisão, a ouvir música e a engatar mulheres arranjando posteriormente esquemas para, quando se farta delas, acabar sem muitos problemas. Quando decide entrar numa organização para pais divorciados de modo a engatar mulheres divorciadas conhece uma mulher por quem sente uma das suas voláteis paixonetas. Quando num piquenique da organização conhece um estranho e alienado miúdo a sua vida acaba por dar uma volta de 180º descobrindo que, afinal, nehum homem é de facto, como ele piamente acredita, uma ilha...

A primeira coisa que convém sublinhar é que o filme é uma adaptação muito eficaz do romance de Nick Hornby. Com excepção do final que acaba por ser diferente do original, ler o livro e ver esta obra são experiências muito idênticas tal é a fidelidade. Mais que falar de aspectos técnicos, sejam eles fotografia, realização, cenografia, etc, o importante aqui é mesmo a história. Assim sendo o trabalho do elenco é o factor mais importante a avaliar e nesse aspecto o filme é imaculado. Hugh Grant acaba por mostrar que afinal é um pouco mais versátil como actor do que se pensava e todos os restantes actores fazem um trabalho muito correcto. Os irmãos Weitz, por seu turno, não arruínam o guião demonstrando assim que à vida para além de American Pie que, apesar de no seu género ser um filme agradável, é muito distinto deste About a Boy.

Concluindo, esta obra acaba por ser um exercício muito agradável sobre a natureza humana, tema típico em Hornby, tal como High Fidelity já o tinha sido (que era um filme igualmente baseado num romance de Hornby). A tentação que muitos de nós sentem por vezes de levar uma vida descomprometida de modo a centrar a nossa existência única e exclusivamente em nós próprios é aqui analisada acabando, de uma forma eficaz, por mostrar que tal é um mito, uma utopia. Por muitas complicações que as relações por nós estabelecidas na sociedade nos tragam a verdade é que tal dificilmente é ultrupassável. Afinal, sem a conhcer a tristeza e os problemas pessoais que nos surgem, como conseguiríamos reconhecer a felicidade na sua maior glória. Precisámos dos outros e os outros de nós e, mesmo com todas as dificuldades daí inerentes, o balanço global entre bons e maus momentos é indiscutivelmente positivo. Um filme recomendado que, sem ser uma obra-prima, consegue entreter o suficiente.

Até para a semana e bons filmes...

® Bruno Sá

2 Comments:

At 7:51 da tarde, Anonymous S0LO said...

Um bom e típico filme com humor muito "british" :P!

Cumps.

 
At 8:23 da tarde, Blogger gonn1000 said...

Não o considero um grande filme, mas é uma comédia inteligente e bem escrita. 6/10

 

Enviar um comentário

<< Home