segunda-feira, julho 10, 2006

O Grande Lebowski

Título Original:
"The Big Lebowski" (1998)

Realização:
Joel Coen

Argumento:
Joel Coen & Ethan Coen

Actores:
Jeff Bridges - Jeffrey Lebowski - The Dude
John Goodman - Walter Sobchak
Julianne Moore - Maude Lebowski
David Huddleston - Jeffrey Lebowski/The Big Lebowski


Em Los Angeles, 1991, Jeff Lebowski (Bridges), o último dos hippies, mais conhecido como The Dude, é atacado por dois marginais que o confundem com outro Lebowski (Huddleston), um milionário cuja mulher, Bunny (Reid), se endivida com extrema facilidade. Agora Lebowski terá que se virar para desfazer toda a confusão gerada por esse desentendimento…

O Grande Lebowski é um filme escrito pelos irmãos Coen e realizado por um deles, Joel Coen. Trata-se do filme que sucedeu ao grande sucesso desta dupla, Fargo, vencedor dos Óscares para melhor argumento e melhor actriz principal, Frances Macdormand.

Devo confessar que os irmãos Coen não fazem o meu estilo e que Fargo considero um filme vulgar, sobre uma história verídica adaptada ao écrân. No meu entender nem sempre uma história baseada em factos verídicos é sinónimo de sucesso cinematográfico e nesse sentido achei Fargo um filme banal. Outras películas da dupla de irmãos, como Irmão, Onde Estás?, ou Intorable Cruelty (com George Clooney e catherine Zeta-Jones) e The Ladykillers (com Tom Hanks) fizeram-me fugir literalmente do universo dos irmãos Coen.

Ainda assim e depois de o meu grande amigo pablito me ter sugerido que visse O Grande Lebowski, decidi dar mais uma hipótese à dupla Coen. E de facto, fiquei agradvelmente surpreendido. O Grande Lebowski é uma grande comédia, mordaz e com um elenco de luxo. Jeff Bridges é um hippie com o cérebro torrado de estupefacientes e cerveja; John Goodman, um veterano ex-combatente da guerra do Vietname, anti-sistema e preparado para usar a usa arma instintivamente mesmo em situações aparentemente inofensivas; Steve Buscemi, completa o trio de amigos que passa os dias a jogar Bowling, ao mesmo tempo que tentam solucionar a série de coincidências que assolam a vida do pacato Jeff Lebowski. O elenco completa-se ainda com outros grandes nomes da sétima arte, tais como, Phillip Seymour-Hoffman, Julianne Moore, Sam Elliot ou John Turturro (brilhante na sua concepção de “Jesus”, um jogador de bowling cheio de style)

Joel Coen realiza uma comédia original, nunca perdendo o fio à narrativa, ligando na perfeição todos os inúmeros acontecimentos e personagens que se vão interligando na vida do pacato Lebowski. A música escolhida pelo cineasta inclui clássicos de Bob Dylan ou Elvis Costello, entre outros e adequa-se perfeitamente ao que é pretendido. Sem dúvida uma das melhores comédias de todos os tempos a par de outras como por exemplo, Dr. Strangelove do genial Stanley kubrick.

No final do filme queremos saber mais sobre aqueles personagens, queremos mais histórias sobre a vida atribulada mas simpática destes pacatos cidadãos americanos. E quando assim é, significa que valeu a pena visionar o filme… Imperdível!

® Sérgio Lopes

3 Comments:

At 12:50 da tarde, Blogger Knoxville said...

É sem dúvida uma das mais simples e divertidas comédias dos últimos anos. Mas podia ter sido bastante melhor, faltou-lhe um ou dois clicks, principalmente algo no seu final. Acaba e ficamos meio: Já acabou?

Um abraço.

 
At 2:26 da tarde, Blogger gonn1000 said...

Este é daqueles onde não percebo o encanto. Detestei, arma-se em cool e espertalhão mas não é mais do que inconsequente e muito, muito aborrecido.

 
At 3:15 da tarde, Blogger cine-asia said...

lol. Eu que n gosto nada dos Coen achei este filme bastante bom. O facto de no final querermos saber um pouco mais sobre os personagens acho que é propositado pelo realizador...

 

Enviar um comentário

<< Home