quinta-feira, março 24, 2005

O Efeito Borboleta

Título Original:
"The Butterfly Effect " (2004)

Realização:
Eric Bress & J. Mackye Gruber

Argumento:
J. Mackye Gruber & Eric Bress

Actores:
Ashton Kutcher - Evan Treborn
Amy Smart - Kayleigh Miller


Efeito Borboletatraz-nos a história de Evan Treborn, um rapaz que desde os 7 anos se apercebeu que não conseguia recordar certos momentos da sua vida. Aconselhado a escrever um diário para que isso não acontecesse, é através desse mesmo diário que Evan vai perceber que tem um dom muito especial.
Já adulto, Evan (Ashton Kutcher) relê o seu diário por acaso e, de repente, dá por si no passado, revivendo um dos momentos de que ele não era capaz de se recordar. Intrigado sobre a experiência que viveu, decide procurar Keyleigh (Amy Smart), deixando-a perturbada por remexer em histórias passadas. No dia seguinte Evan recebe uma chamada de Tommy (William Lee Scott), irmão de Keyleigh, relatando o seu suicídio.

É este o acontecimento que provoca o desenrolar do filme e que leva Evan a uma sucessão de regressos ao passado para tentar alterar o destino do seu grande amor. Porém, Evan vai aprendendo, à sua própria custa, que alterar um facto do passado mexe com todo o futuro.
E aí esta a explicação para o nome do filme, o Efeito Borboleta, em que o simples bater de asas de uma borboleta pode desencadear um tufão do outro lado do Mundo.

Um filme que prende por misturar as viagens no tempo com o poder da mente. De facto, todas as pessoas já desejaram, pelo menos uma vez, poder alterar este ou aquele acontecimento, de forma a que o presente e o futuro fossem mais favoráveis.
O poder da mente também é outro tema que desperta muita curiosidade, pois o facto de não se conhecerem todas as capacidades do nosso cérebro, uma vez que apenas utilizamos uma pequena percentagem do mesmo, leva-nos a especular muito sobre o assunto.

Assim, Efeito Borboleta, faz uma mistura que agarra o espectador e que o leva a pensar o que faria se tivesse a mesma oportunidade que Evan. Porém, o filme lembra que não podemos mexer com o passado, sem sofrer as devidas consequências desse mesmo acto.
Sendo o final do filme um complemento a esta ideia.

Para aqueles que não esperavam que Ashton Kutcher fosse capaz de desempenhar este papel, o seu desempenho surpreende pela positiva. Não que se possa dizer que está excelente, mas nota-se que há ali potencialidades. E é preciso ser muito arrogante para não conseguir ver isso.

® Rui Silva

4 Comments:

At 10:27 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Eu gostei muito desse filme. Acho que está muito bem conseguido. Quanto ao Ashton Kutcher não esteve mal.

 
At 6:50 da tarde, Anonymous Anónimo said...

tanbem gostei muito do filme depois de assistir tres veses consegui entender q eu nao poderia voltar ao passado mas admiro quem teve essa ideia Astcher kutcher esta de parabens ...

 
At 3:24 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Esse filme foi um sucesso. Ele é ilário. Se eu pudesse o assistiria 24horas sem parar.hnhnhnhnxD

 
At 4:45 da manhã, Blogger Rodrigo Da Silva Quaresma said...

Boa noite colegas!

Em minha simples opinião, creio que o Ator principal, percebeu o lado ruim de "brincar de Deus", como o pai dele já tinha o avisado.
Essa "brincadeira" seria voltar no tempo, tentando consertar coisas, mas sempre algo ruim acontecia, mas de forma diferente, envolvendo as pessoas próximas ao Ator.

Até que por fim, percebeu que a única escolha que ele poderia fazer para que menos pessoas queridas ficassem prejudicadas, seria a de não ter nascido, como disse a vidente.
Ele não nascendo, todas as desgraças nas vidas dos seus amigos não teriam acontecido.
E essa é a sua última escolha: Não nascer.

O final é triste, ele realmente escolhe não nascer para evitar todos os sofrimentos que iriam acontecer com as pessoas que gostava.

Triste, é também um final que deixa os telespectadores com muitas dúvidas, como:
- O que aconteceu quando os funcionários do Hospital conseguiram abrir a sala onde ele estava, o que viram lá? Nenhum corpo, ou ele morto?

- Pra onde ele foi, já que não nasceu?

- Será que realmente era pra ele não ter nascido? Ou era sim pra ter nascido e ter tido esse fim, fim esse que seria outro, caso ele não tivesse nascido. Em outras palavras, ele só pode fazer bem à todos as pessoas que gostava passando por tudo o que passou e fazendo elas passarem por tudo o que passaram(destino)?

Obrigado à todos que leram?



 

Enviar um comentário

<< Home