quinta-feira, dezembro 29, 2005

Sorte Nula

Título Original:
"Sorte Nula" (2004)

Realização:
Fernando Fragata

Argumento:
Fernando Fragata

Actores:
Helder Mendes - Alberto
António Feio - Chico
Isabel Figueira - Sandra
Rui Unas - Jacinto


Este filme de Fernando Fragata é incaracterizável. Entre fragmentos de qualidade duvidosa e enredos trocados, salvam-se os actores (alguns) e a comicidade da premissa, que produzem um labirinto rocambolesco de dramas pessoais tragicómicos.

Em 1997, Fernando Fragata apresentava-nos Pesadelo Cor-de-Rosa, uma comédia romântica “levezinha” com duas vedetas portuguesas – Catarina Furtado e Diogo Infante- a falar inglês. Já em 2004, com Sorte Nula, o realizador, produtor e argumentista continua a destacar-se pela imaginação fértil, bem mais rica agora, todavia, do que no primeiro filme referido.
De facto, Sorte Nula parte de um argumento fundado em confusões emocionais e em circunstâncias trocadas, que se alternam para explicar a ocorrência de um crime ocorrido num cemitério de automóveis mórbido q.b. O que resulta é, assim, um filme que começa por lembrar ao espectador se ele estará no lugar certo, e se valeu a pena ter pago bilhete, mas que se salva, a partir dos primeiros momentos de susto, através de uma genial montagem que constrói e desconstrói um crime mediante a apresentação dos personagens relacionados com o morto, Chico (António Feio).

A qualidade de imagem é de um amadorismo notório e nebuloso, se bem que a dinâmica câmara de Fragata pareça estar no lugar certo à hora certa. Os desempenhos, num filme composto por vedetas televisivas (até o novo protagonista de Morangos com Açúcar, o debutante Pedro Teixeira, lá está, juntamente com Rui Unas, Bruno Nogueira, Isabel Figueira e outras estrelas), são de forma geral razoáveis, distanciando-se contudo do razoável a ex-Big Brother Tânia Miller, que , desculpemos-lhe a inexperiência, é francamente má nos trejeitos caricaturados da personagem que interpreta, Rita, só aceitável na cena do atropelamento (pelo menos a ficar negra e dorida, ela parece convincente).

De resto, as piadas não são excelentes num filme inserido no género “thriller”, mas que se assume sobretudo como comédia, ainda que toda a história se torne hilária pelas coincidências que envolvem o facto principal e pela peculiaridade de muitos personagens- Rui Unas, o polícia; Adelaide de Sousa, a mulher infiel (quantas vezes, acaba o filme sem sabermos...); Hélder Mendes (o “desgraçado” Alberto, agente da sorte nula, que também dá corpo ao inevitável final feliz), entre outros.
Em suma, Sorte Nula não é uma nulidade no cinema português, mas uma boa e bem construída comédia domingueira, que dá “uma no cravo e outra na ferradura”: ridiculamente cómica por um lado, falível por outro (de esquecer, o microfone visível de Pedro Teixeira e o pneu à mão de semear no porta-bagagens de Tânia Miller, a questionar se não estaremos perante uma verdadeira brincadeira cinematográfica). Pormenores questionáveis são o strip-tease da “sex bomb” Carla Matadinho, a chamar as audiências, e a banda sonora, que faz passar os principais acontecimentos do filme por uma kizomba de Gil Semedo – o que, de tão surpreendente, se torna cómico.

No fim, Fragata mostra uma boa ideia e boas surpresas no guião, mas uma excessiva aproximação ao vendável, neste Sorte Nula. Vale a pena ver, ainda assim, este filme do tipo “ah, então foi assim...” e onde não há um, como seria suposto, mas vários personagens principais.

® Andreia Monteiro

4 Comments:

At 2:19 da tarde, Blogger membio said...

é um filme, que apesar de ser algo rídiculo com todas as falhas que apresenta é um bom produto para chamar outro género de público português ao cinema, fartos de filmes lentos estmos nós, venha algo diferente. Se Fernando Fragata for trabalhando bem, pode ser que ainda traga bons filmes e leve mais pessoas ao cinema. Eu pelo menos gostei e aplaudi a diferença!! Outros projectos como o "Balas e Bolinhos" ou o "I'll see you in my dreams" são tb de aplaudir e são importantes para o cinema português e eu certamente estarei atento aos próximos projectos destes realizadores.

 
At 12:16 da tarde, Blogger gonn1000 said...

Um filme quse nulo...

 
At 1:54 da manhã, Anonymous Pablito said...

Deu na tv não foi? No instante em que mudei de canal e vi um excerto desse filme estava a dar um streep tease da Carla Matadinho. Ora... 10 estrelas para esse filme JÁ!

 
At 11:31 da manhã, Anonymous Anónimo said...

é um excelente filme

voces nao sabem do que falam

deve ser dos unicos filmes portugueses em que eu nao adormeci a meio.

dizem que sorte nula é um filme de accao cmo os que hollywood fazia há anos atras--pois bem, temos que passar por essa fase.

 

Enviar um comentário

<< Home