domingo, julho 22, 2007

À Prova de Morte

Título Original:
"Death Proof" (2007)

Realização:
Quentin Tarantino

Argumento:
Quentin Tarantino

Actores:
Kurt Russell – Stuntman Mike
Rosario Dawson - Abernathy
Vanessa Ferlito – Arlene/“Butterfly”
Sydney Tamiia Poitier – Jungle Julia
Tracie Thoms – Kim


Grindhouse é um projecto conjunto de Quentin Tarantino e Robert Rodriguez que homenageia os filmes de série Z que abundavam nas salas de cinema norte-americanas nos finais dos anos 60. Quanto às duas partes do projecto, a Tarantino coube a realização de Death Proof, enquanto Rodriguez realizou Planet Terror (com estreia prevista para Setembro deste ano, segundo algumas revistas).

A história gira à volta de Stuntman Mike (um Kurt Russell revigorado), um duplo de cinema que se passeia ao volante de um carro, segundo ele, “à prova de morte” e que é usado como arma de crime. Num bar algures no Texas um grupo de amigas: Arlene (Vanessa Ferlito), Jungle Julia (Sydney Tamiia Poitier) e Shanna (Jordan Ladd), “curtem” a noite com muita música e álcool à mistura, sem desconfiar que Stuntman Mike, um dos tipos do bar a quem Arlene faz uma lap-dance, é um psicopata que as tem seguido e as escolheu para um trágico destino. Mais tarde Stuntman Mike escolhe novas vítimas e segue a pista de quatro amigas que estão no Tenessee como actrizes de figuração: Abernathy (Rosário Dawson), Kim (Tracie Thoms), Zöe (Zöe Bell, dupla de cinema que faz o papel de si própria) e Lee (Mary Elizabeth Winstead). O assassino nem sonha o trabalho que estas lhe vão dar.

É curioso ver ao longo do filme as variações da imagem e do som, como se a fita fosse muito usada e estivesse quase a estragar-se, mas não vai, por isso não saiam da sala. E mais: saltos de uma cena para outra, supostas falhas de som. Por falar em som, o que mais se ouve durante o filme é o poderoso “roncar” dos motores daqueles calhambeques (as minhas desculpas para quem gosta), que podem levar muita pancada, mas que resistem. No filme temos direito a alucinantes perseguições de carros tão ou mais emocionantes do que blockbusters com carros de designs modernos em corridas loucas por entre o trânsito duma cidade e que acabam por ser a estrela dos filmes em vez dos actores.

À Prova de Morte conta ainda com algumas referências a Kill Bill de que facilmente nos apercebemos se estivermos atentos. Tal como nessa saga, em À Prova de Morte, Tarantino revela-se um admirador do chamado girl power que está presente sobretudo no segundo grupo de amigas que Stuntman Mike quer matar.

No filme não faltam cenas que de tão disparatadas ou excêntricas fazem rir, há uma espécie de humor macabro. Para quem não está habituado nem a filmes independentes nem à filmografia de Tarantino, ainda mais com a exploração livre de características do tipo de filmes específicos de outra época que o realizador faz, este filme poderá parecer algo insólito. Quem conhece minimamente os filmes dele não estranhará tanto este novo À Prova de Morte.

® Isabel Fernandes

3 Comments:

At 10:33 da tarde, Blogger Flávio said...

Gostei bastante do filme, mas, como já disse noutro sítio, a primeira parte 'cultural' não me entusiasmou por aí além. As perseguições de carros do final, essas sim, é que foram um mimo. Gostaria que todo o filme tivesse sido assim: uma única e grande perseguição de automóveis.

 
At 1:00 da manhã, Blogger César Augusto said...

O filme está simplesmente FABULOSO!! Não estava a espera de um filme tão bom.

 
At 12:19 da tarde, Blogger Luís Alves said...

por acaso até me surpreendeu, especialmente na 2ª parte. um filme cheio de vitalidade e delírios tarantinescos e portanto: Muito Bom!

 

Enviar um comentário

<< Home