domingo, julho 03, 2005

Les Triplettes de Belleville

Título Original:
"Les Triplettes de Belleville" (2003)

Realização:
Sylvain Chomet

Argumento:
Sylvain Chomet

Actores:
Beátrice Bonifassi - Triplets (a cantarem)
Lina Boudreault - Triplets (voz)


Les Triplettes de Belleville (ou Belleville Rendez-Vous, como em alguns países) é um filme de animação atípico do realizador francês Sylvain Chomet. Longe das convenções narrativas hollywoodescas, tem um humor inteligente, e por vezes negro, que marca todo o filme, estreado em Portugal no princípio de 2004, tendo passado um pouco despercebido pelo grande público, mas não pela crítica.

Ao fim de cinco anos Sylvain Chomet conseguiu tornar Les Triplettes de Belleville “realidade”, uma longa-metragem de animação sem diálogos, primando pois pela extrema expressividade das personagens, sempre acompanhadas pela música nostálgica de Benoît Charest. Para este encantador filme de animação o realizador foi buscar inspiração em figuras ligadas ao cinema francês, ao género cómico e à animação como: Louis de Funes (comediante francês); Charlie Chaplin (a notória influência do mestre do cinema mudo); Jacques Tati (escritor, realizador e comediante francês); Albert Dubout (célebre caricaturista francês) e nas persongagens criadas por Tex Avery (Os Looney Toones da Warner Brothers: Bugs Bunny, Porky the Pig, Daffy Duck, entre outros).

O filme conta a história de Madame Souza – uma avó de ascendência portuguesa que cria o seu neto Champion, órfão, com toda a dedicação para o ajudar a realizar o seu sonho de ser ciclista. Champion é uma criança triste e a avó faz o possível para vê-lo feliz, oferece-lhe um cão, ao qual é dado o nome de Bruno, mas no fundo ele continua triste. Um dia Madame Souza oferece-lhe um triciclo, o que deixa o neto feliz. A partir daí o tempo da história avança. O cão Bruno, traumatizado desde cachorrinho, passa os dias à janela a ladrar aos comboios que passam mesmo em frente à casa torta e envolta em prédios, Champion já é crescido e Madame Souza é a sua personal-trainer para que consiga participar na Volta a França em Bicicleta (Tour de France).

Durante a prova Champion é raptado por homens da máfia francesa que raptavam ciclistas para os obrigarem a pedalar, hipnotizados, em bicicletas que não saem do lugar, pasmados diante duma tela onde passam imagens reais a preto e branco do percurso da prova perante as apostas de muitos mafiosos. Corajosa, Madame Souza aluga uma gaivota e, sempre acompanhada por Bruno, inicia uma das maiores aventuras que já vimos em filmes animados (numa cena que cruza a animação tradicional eos efeitos 3D), pedalando atrás do navio e atravessando uma grande tempestade marítima até chegar a Nova Iorque! Lá, Manhattan desaparece para dar lugar a Belleville, uma zona francesa, da grande cidade. Os americanos são comicamente retratados como pessoas bastante obesas devido à sua alimentação sobretudo à base de hamburguers.

Inicialmente Madame Souza perde o rasto dos bandidos, mas mais tarde com a ajuda das irmãs Triplettes – excêntricas estrelas do musicall dos anos 30, que cantam Swinging Belleville Rendez-Vous (tema cómico que desde logo fica no ouvido) o único grande êxito da sua agora decadente carreira, e tema deste filme – inicia uma série de peripécias para salvar o neto.

Terão mesmo de ver o filme, pois teria de escrever muito para conseguir apontar todos os pormenores (como símbolos tradicionais portugueses na casa dos Souza) e elementos cómicos (como o facto das irmãs Triplettes terem uma “ementa” à base de rãs) que envolvem as personagens, desenhadas com formas desproporcionais, até grotescas, mas que conseguem desde o início enternecer-nos. Diferente das animações americanas e japonesas, Les Triplettes de Belleville é imperdível, mesmo para quem só veja filmes com “personagens de carne e osso”, pode ter perdido o Óscar para À Procura de Nemo, mas merece destaque neste blogue.

® Isabel Fernandes

6 Comments:

At 12:23 da tarde, Blogger Flávio said...

Eu, como português que sou, fiquei orgulhoso da Madame Souza: ela é a protagonista mais generosa e encantadora do cinema de animação.

Flávio

www.a-bomba.blogspot.com

 
At 4:41 da manhã, Anonymous Luís Mendonça said...

Com tanta trapalhada, mais ou menos divertida, vinda dos States- "Gang dos Tubarões", "Finding Nemo", "The Incredibles" e o mais recente, e meio insosso, "Madagascar"- olhamos para este "Les Triplettes de Belleville" e sentimos saudades da simplicidade da animação tradicional.

cumprimentos

 
At 10:44 da manhã, Anonymous Vera said...

"Les Triplettes de Belleville" mostra-nos que não são precisos grandes artíficios cinematográficos para contar uma boa história.
Também fiquei orgulhosa da coragem da Madame Souza!
Destaque ainda para a banda sonora do filme, com a música do M. a ficar na cabeça dias a fio.

 
At 11:50 da manhã, Blogger Ne-To said...

o melhor filme de animação dos ultimos anos... sem duvida alguma.

 
At 6:07 da tarde, Blogger H. said...

em 2 palavras: diferente e surpreendente! :)

 
At 5:16 da tarde, Blogger de Andrade. said...

Um filme emocionante, com um fim nostálgico que me fez chorar.

 

Enviar um comentário

<< Home