segunda-feira, janeiro 16, 2006

A Mosca

Título Original:
"The Fly" (1986)

Realização:
David Cronenberg

Argumento:
David Cronenberg & George Langelaan

Actores:
Jeff Goldblum - Seth Brundle
Geena Davis - Veronica Quaife
John Getz - Stathis Borans


Seth Brundle é um cientista, empenhado no tele-transporte. No momento em que Seth consegue completar o seu invento, uma pequena e comum mosca doméstica entra na cúpula de tele-transporte com o cientista fundindo-se assim com ele. Seth começa gradualmente a transformar-se num ser monstruoso (parte homem, parte mosca) com cerca de 2 metros de altura. A transformação é horrenda e acompanhada por uma jornalista, Verónica. Seth tem agora muito pouco tempo para encontrar uma forma de reverter a situação…

A Mosca trata-se de mais um clássico imperdivel dos anos 80, realizado por um dos mestres do bizarro, David Cronenberg (Crash, Spider, e o muito aguardado A History of Violence, entre outros). É um remake do filme dos anos 50 com o mesmo nome, mas com um tratamento completamente diferente, assemelhando-se a uma trágica história de amor tendo como base de fundo a experiência falhada de um cientista que em última análise irá provocar consequências desastrosas para todos os envolvidos.

A Mosca trata-se de um filme de terror, na medida em que choca o espectador na transformação homem – mosca que Seth Brundle vai sofrendo ao longo da película. Destaque obviamente para a fabulosa interpretação de Jeff Goldblum que não só cria um cientista credível e lunático o suficiente para arriscar a sua própria vida, como também é soberbo por baixo da monstruosidade que consegue transmitir ao longo da transformação sofrida.

Ao longo dessa transformação vamos assistindo à adopção dos maneirismos próprios de um insecto, tais como regurgitar a própria comida ou obter força sobre-humana, por exemplo. Por outro lado, à medida que o processo de transformação caminha para o final, pedaços de carne começam a cair do corpo do cientista… Tudo isto é testemunhado pela jornalista e par amoroso do cientista, interpretada por Geena Davis de forma competente e convincente.

Os efeitos especiais são pioneiros e mantêm-se actuais, tendo inclusivamente vencido o Óscar da academia para melhor caracterização. A música utilizada acompanha sempre o crescendo de tensão e horror da película aliada aos planos de câmara de Cronenberg que formam uma realização inteligente e por vezes subjectiva na sua intenção, bem como uma narrativa intensa apoiada numa história que consegue ser transmitida como possível e credível, aos olhos do espectador.

Em suma, A Mosca pauta-se por um filme inteligente na abordagem que faz ao acontecimento que despoleta a tragédia pessoal de Seth Brundle. O lado humano do personagem nunca é esquecido por Cronenberg; Antes pelo contrário, é priveligiado. É, sem sombra de dúvidas, um dos melhores filmes do cineasta, um clássico indiscutível dos anos 80, que incompreensivelmente tem em 2006 previsão de um novo remake por parte de outro cineasta. Será possível que suplante esta obra maior dos anos 80? Tenho as minhas dúvidas…

® Sérgio Lopes

4 Comments:

At 1:40 da tarde, Anonymous S0LO said...

Tenho que começar a ver mais filmes do Sr. Cronenberg :P!

Cumps.

 
At 5:11 da tarde, Blogger membio said...

tb tenho as minhas dúvidas em relação ao novo remake, já que este figura entre os meus favoritos de sempre :)

 
At 10:16 da tarde, Blogger cine-asia said...

eu acho completamente inutil o remake desta grande obra. Dps acontece como outras obras, tipo o Psico, cujo remake foi no mínimo sofrivel... E se se lembram de fazer o remake por ex do laranja mecânica???!!!!!!!!!

 
At 2:32 da manhã, Blogger wasted blues said...

Filme com o qual tenho uma relação amor-ódio há anos. Por um lado, reconheço-lhe a qualidade mas, por outro lado, custa-me imenso vê-lo... uma obra-prima do terror que realmente me impressiona.

Comprei, mesmo assim, há pouco tempo a edição especial americana em DVD. Excelente edição!

 

Enviar um comentário

<< Home