sábado, fevereiro 04, 2006

Match Point

Título Original:
"Match Point" (2005)

Realização:
Woody Allen

Argumento:
Woody Allen

Actores:
Scarlett Johansson - Nola Rice
Jonathan Rhys-Meyers - Chris Wilton
Emily Mortimer - Chloe Hewett Wilton


Paixão, tentação, obsessão. Estes são os principais ingredientes deste filme de Woody Allen, o seu primeiro em Inglaterra. O melhor filme do realizador, nos últimos 10 anos, conta com a sensual Scarlett e o dedicado Jonathan Rhys-Meyers.

Doce, compreensivo, ambicioso, familiar, sensual, tentador, brutal e até selvagem. Estes elementos tão díspares, dão “alma” ao novo filme de Woody Allen, numa intriga completa em emoções, desde as mais civilizadas e burguesas, às mais selvagens numa realização brilhante, capaz de cativar a todos os instante.

A história poderosa é alimentada por interpretações apaixonantes e em permanente construção. Á entrada entramos num filme sobre a ambição, ascensão social e incerteza de um jovem inglês de origens humildes. Mas a personagem de Jonathan Rhys Meyers – actor britânico distinguindo esta semana com um Globo de Ouro pela mini-série Elvis –, Chris Wilton, à medida que vai subindo na vida, vai também modificando a sua forma de pensar e agir. Chris é a personagem mais complexa e em constante evolução na história. Ao contrário do que estamos habituados nos filmes de Allen, onde Manhattan costuma predominar, aqui respira-se um ambiente tipicamente britânico, de uma Londres actual e do seu lado mais burguês. O elenco é, aliás, praticamente todo inglês.

Chris envolve-se com uma jovem rapariga de famílias muito ricas e importantes, Chloe (Emily Mortimer) e, apesar de não sentir a mesma paixão que ela sente por ele, acaba por ser seduzido pelos prazeres que ela e o respectivo pai lhe vão proporcionando. O jovem tenista que, antes, não fazia ideia do que queria ser, vê-se assim com a vida “feita” e repleta de luxos, tudo graças à namorada rica (e, mais tarde, mulher). Mas no meio desta ambição surge a sensual Nola Rice (Scarlett Johansson), que é namorada do irmão de Chloe. É ela o ponto de viragem da história e da vida de Chris. O resto é para ser saboreado na sala de cinema, já que ao cunho satírico de Woody Allen surge também uma espécie de suspense e fenómeno surpresa (delicioso), capaz de surpreender o espectador.

Trata-se de um filme sobre a condição humana, e em como a ambição, primeiro, e a tentação e instinto selvagem (para manter a riqueza), depois, podem moldar um homem comum, em constante crescimento.

Acompanhados com uma banda sonora repleta de ópera, música predilecta do protagonista, somos convidados a assistir a uma autêntica ária de moralidade e culpa, ou falta dela.

Scarlett Johansson tem uma interpretação intensa e muito sensual, constituindo a cereja no topo do bolo de Woody Allen.

® João Tomé

1 Comments:

At 4:15 da manhã, Anonymous André Lun said...

Belo filme que para mui é um complemento para o melhor Allen: "Crimes e Pecados". Nos dois casos a lógica do sucesso triunfa no mundo das aparências mas é a consciência que está em primeiro plano o tempo todo. Na vida também é assim. "Match Point" é mais didático mais didático do que "Crimes e Pecados", mas também é um belo filme.

 

Enviar um comentário

<< Home