domingo, agosto 20, 2006

O Amor Acontece

Título Original:
"Love Actually" (2003)

Realização:
Richard Curtis

Argumento:
Richard Curtis

Actores:
Hugh Grant – Primeiro-Ministro
Alan Rickman – Harry
Emma Thompson – Karen
Colin Firth – Jamie
Liam Neeson - Daniel


Se quiséssemos contar quantos filmes ao longo a história do cinema têm o amor como tema principal, teríamos sérios problemas em realizar tal tarefa. Usado por inteiro em romances ou em partes em todo o tipo de filmes, o amor lá está, procurando despertar as emoções dos espectadores mais sensíveis a essa temática. Depois dos sucessos como argumentista e co-argumentista em Quatro Casamentos e Um Funeral (1994), Nothing Hill (1999) e O Diário de Bridget Jones (2001), Richard Curtis escreveu o argumento e realizou O Amor Acontece. Não se trata apenas de mais uma comédia romântica melosa e previsível como as que têm estreado no cinema estes últimos anos, ou mesmo meses... O Amor Acontece ganha mérito em relação a essas ditas comédias graças a uma receita bem feita por Curtis: retratar o amor nas suas diferentes variantes, combinando amor e humor com muito optimismo, embora este último possa ser um tanto exagerado. O realizador contou com uma grande lista de grandes actores e interligou as suas personagens conforme a visão do amor que estas representam.

O Amor Acontece é dos filmes que vi, o que mais personagens tem e com a mesma importância na narrativa. Com a influência da proximidade da época natalícia, em que o amor é tão “apregoado”, as pequenas histórias das personagens e a visão do amor que representam sucedem-se em simultâneo tendo Londres como pano de fundo. Aqui ficam algumas das personagens: Billy Mack (Bill Nighy), uma excêntrica e decadente estrela da música rock que pretende relançar a sua carreira com uma versão pouco alterada de uma música que toda a gente conhece, contando sempre com a amizade do seu manager Joe (Gregor Fisher). Um Primeiro-Ministro glamoroso e solteiro que acaba de se mudar para o nº10 da Downing Street e apaixona-se por Natalie (Martine McCtucheon), uma das empregadas.

Karen e Harry têm um sólido casamento até que este começa a ser ameaçado pelo constante assédio da secretária de Harry. Após a morte da mulher, Daniel tenta estreitar os laços que o unem ao seu enteado Sam (Thomas Sangster), que vive a sua primeira paixão de escola. Sarah (Laura Linney) é uma tímida executiva que dá o primeiro passo na tentativa de um relacionamento com Karl (Rodrigo Santoro), o colega de trabalho pelo qual está apaixonada. Jamie é um escritor que se muda para a França após a traição da sua namorada, acabando por apaixonar-se pouco a pouco por Aurélia (Lúcia Moniz), sua empregada de limpeza.

Hugh Grant destaca-se do elenco, não só pela personagem que interpreta e que tem algumas das cenas mais cómicas, mas pelo facto de ter participado em todos os filmes em que Richard Curtis esteve envolvido. O outro actor favorito do realizador é Colin Firth (participou nos dois filmes de Bridget Jones) que vive um romance com nem mais nem menos do que a “nossa” Lúcia Moniz. Os portugueses emigrados na França tem merecido destaque no filme, apesar do exagero na forma nada característica do nosso povo em termos de cumprimentar alguém. O resto do elenco também está de parabéns num filme descontraído e informal sem as voltas e reviravoltas amorosas padronizadas nas tais comédias típicas de humor desgastado que chovem nas nossas salas de cinema.

® Isabel Fernandes

1 Comments:

At 2:11 da tarde, Anonymous Andreia Monteiro said...

A comédia britânica é, na minha opinião, única...e este é, a par de Quatro Casamentos e Um Funeral, um dos seus dignos representantes. Hugh Grant continua imparável, Bill Nighy indescritivelmente cómico,e bons desempenhos também de todos os outros. Está certo que a profundidade dos personagens não é flagrante, mas em geral cumpre os objectivos e conseguimos conhecê-los minimamente sem superficialidades básicas. Este é um filme que dá para rir, mas que também nos consegue pôr a pensar um bocadinho. Não perder de vista a cena em que Hugh Grant, o "primeiro", canta efusivamente "Jump for my love".

 

Enviar um comentário

<< Home