segunda-feira, fevereiro 13, 2006

Super-Homem

Título Original:
"Superman - The Movie" (1978)

Realização:
Richard Donner

Argumento:
Jerry Siegel, Joe Shuster & Mario Puzo

Actores:
Christopher Reeve - Super-Homem/Clark Kent
Gene Hackman - Lex Luthor
Margot Kidder - Lois Lane
Marlon Brando - Jor-El


Num ano em que um dos filmes mais aguardados é mais uma adaptação do super-herói de Kripton, de capa vermelha – SuperHomem, vale a pena recordar a adaptação mais conhecida (e mais conseguida até à data), pelas mãos de Richard Donner, com a presença do malogrado Christopher Reeve.

A história é amplamente conhecida. O pai do Super-Homem, envia-o do planeta Kripton para o planeta Terra ainda em bebé. È criado por uma família pobre e em adulto é o jornalista Clark Kent. No entanto e apesar da sua normal aparência, contém super-poderes, tais como visão Raio-X, capacidade de voar e força sobrenatural. Felizmente utiliza as suas capacidades na defesa do Bem. É o Super-Homem, com a sua capa vermelha e roupa justa. No entanto, quando o maligno Lex Luthor planeia tomar conta do Mundo, só o Super-Homem parece capaz de o deter…

A adaptação de SuperHomem ao ecrân, é, provavelmente, uma das melhores adaptações da BD de todos os tempos. Mesmo tendo em conta as dificuldades técnicas a nível dos efeitos especiais da época, há um punhado de factores que tornam Super-Homem um filme clássico. A começar pelas interpretações: Christopher Reeve, cria um Super-Homem simpático, confiante e fisicamente à altura do que era requisitado, ao mesmo tempo que na pele do seu alter-ego, o jornalista Clark Kent, consegue criar um personagem distraído, inseguro e trapalhão. Brilhante trabalho de composição deste malogrado actor para sempre associado ao Super-Homem, quer na tela, quer na vida real.

Com secundários de peso, como Gene Hackman na pele do terrível Lex Luthor ou Marlon Brando como o pai do Super-Homem, obviamente que são uma mais valia para o filme. O score musical da autoria de John Williams ainda hoje é associado ao super-herói e será com certeza utilizado na nova versão por Brian Singer a estrear este ano. É um score épico que não só é adequado como com o passar do tempo automaticamente se fundiu com o superherói.

O realizador Richard Donner tem um papel decisivo na fluidez da narrativa e no retrato humano que confere a um personagem dividido entre o dever de ajudar a humanidade que o acolheu e a necessidade de ser normal e integrar-se na sociedade. O argumento de Mário Puzo (O Padrinho) é, como não podia deixar de ser, sólido e eloquente e imprime grande qualidade à narrativa.

Super-homem, é, portanto, não só um clássico por todas as razões já apontadas anteriormente, mas porque também se mantém fiel à BD que lhe deu origem, conseguindo agradar a crianças e a adultos. Mesmo 20 anos depois mantém-se um clássico intocável. Seguido de mais três sequelas, só Super-homem II, se afasta da mediania (embora com a peripécia do despedimento de Richard Donner a meio das filmagens). Os restantes dois filmes são maus demais para sequer os mencionar. Resta-nos aguardar pela nova versão do mais famoso super-herói e guardar sempre em DVD este clássico incontornável para de vez em quando recordar…

® Sérgio Lopes

3 Comments:

At 6:41 da tarde, Anonymous S0LO said...

Bom clássico :)!

Cumps.

 
At 12:51 da tarde, Blogger David Santos said...

Um clássico.
Um execelente filme de Richard Donner.
Um exemplo de uma adaptação ao cinema de uma BD.

4/5

 
At 2:18 da tarde, Anonymous Pablito said...

Um daqueles filmezinhos da nossa infância. Lembro-me que tinha o Super-Homem 2 gravado em VHS e estava sempre a ver o inicio pois mostrava as cenas do primeiro com aquela músiquinha, inclusivé aquela parte em que ele faz a terra girar ao contrário para salvar a Lois Lane. Awesome ( na altura )

 

Enviar um comentário

<< Home