quinta-feira, março 01, 2007

Bichunmoo - O Guerreiro

Título Original:
"Bichunmoo" (2000)

Realização:
Kim Young-jun

Argumento:
Kim Young-jun

Actores:
Shin Hyun-june - Yu Jinha
Kim Hee-sun - Sullie
Jang Dong-jik - Lai
Chung Jin-young - Namgung Junkwang



Ao longo deste filme somos transportados ao final da dinastia Yuan, altura em que os mongóis eram dominados pelo continente chinês, rivalidades, conflitos e combates existiam e deles resultavam ódios e vinganças como honra de uma família. Sullie (Kim Hee-sun) é uma criança que um dia brinca num bosque e na altura surge um animal selvagem para a atacar, Jinha (Shin Hyun june) é outra criança que ajuda Sullie e de algum modo a tira do perigo em que se encontrava, daqui irá surgir uma grande e profunda amizade que se irá transformar em algo mais profundo à medida que vão crescendo.

São de mundos e de vidas diferentes, Sullie filha ilegítima de um poderoso Senhor Mongol tem a vida facilitada e não vêem com bons olhos Jinha.
Jinha de origem humilde e criado por um “Tio”, descobre depois de um ataque de guerreiros que buscam e procuram As Artes Secretas do Bichun que o seu “Tio” não é seu “Tio” mas sim um Espachim do Meste Yu Kwakjung, significando então que ele – Jinha – é o último herdeiro Yu e que tem de vingar a morte dos seus pais para que estes descansem em paz.

Tudo estas pequenas “coisas” vão-nos “transportando” a mundos diferentes e encadeando-se, quer a nível de imagem, de visual, de linguagem, da música, quer da arte de manobrar uma espada, ou da arte de quase se ser um acrobata sem o ser, assim chegamos ao reino da Arte do Bichum, em que Jinha se tornou detentor da mesma. Como consequência do saber que tem – Arte do Bichum- Jinha é procurado e todos o querem ver morto para serem detentores da mesma. Ao “lado”, num mundo de certo modo diferente, Sullie é obrigada a casar.

No fundo um filme que se distingue em muito de outros e que sobressaí pela sua força visual, avança de um modo vertiginoso pela sua agressividade, outras lento pela sua leveza e beleza pelo meio vamos dando conta que o amor de algum modo singra, mas… damos conta também que o ódio e a vingança desencadeiam acções de uma crueldade sem limites em que as consequências finais são nefastas quer para o agressor, quer para o agredido.

® Ângela Mateus

1 Comments:

At 7:05 da tarde, Blogger Shinobi said...

Filme razoável, com uma excelente banda-sonora, mas com uma estória um tanto ou quanto confusa! Necessita de pelo menos dois visionamentos, para se poder apreciar com um mínimo de exactidão. O romance é excelente!

 

Enviar um comentário

<< Home