domingo, setembro 04, 2005

Realizador da Semana: João César Monteiro

Foi indubitavelmente um dos maiores cineastas de toda a história do cinema português, cujo talento era reverenciado aquém e além fronteiras. Ao lado de Manoel de Oliveira, era quem mais proporcionava visibilidade e reconhecimento internacionais ao cinema nacional.

Nascido a 2 de Fevereiro de 1934 na Figueira da Foz no seio de uma família anticlerical e anti-salazarista, César Monteiro fixou-se em Lisboa aos 15 anos com a família. Depois de ter sido assistente de realização de Perdigão Queiroga no filme O Milionário, em 1962, foi estudar cinema para Londres. O português foi um autor deveras polémico e nada consensual, tendo adquirido admiradores e detractores tanto pela sua obra como pela sua personalidade incómoda e irreverente. Esta última é condizente se tivermos em conta, entre curtas, médias e longas-metragens, obras como o documentário Sophia de Mello Breyner Andresen; Quem Espera por Sapatos de Defunto Morre Descalço, sobre as adversidades de dois amigos; Fragmentos de um Filme-Esmola, a partir de textos de Ésquilo e James Joyce; o inteligente e profético Que Farei Eu com Esta Espada?; Amor de Mãe; Os Dois Soldados; o belíssimo Veredas; Silvestre, que lhe granjeou a internacionalização; o vencedor do Prémio Especial do Júri no Festival Salsomaggiore À Flor do Mar; Recordações da Casa Amarela, onde César Monteiro encarna a marcante personagem e seu alter-ego João de Deus, que se prolongaria em A Comédia de Deus e As Bodas de Deus; o drama O Último Mergulho; o curtíssimo Passeio com Johnny Guitar; Lettera Amorosa; O Bestiário; a comédia A Bacia de John Wayne; A Filosofia de Alcova, a partir de uma história do Marquês de Sade; Branca de Neve, provavelmente o filme mais polémico do cinema português e o derradeiro Vai e Vem, um dos seus mais elogiados.

Já foi dito que César Monteiro era verdadeiramente polémico e estava bem longe de atingir consenso. Falta acrescentar que às vezes são estes os mais fascinantes…

® Artur Almeida

6 Comments:

At 1:08 da manhã, Blogger Paulo said...

Sem dúvida, uma personalidade fascinante, dentro e fora do cinema. Foi um excelente apanhado da carreira deste homem muito peculiar, tão dado a polémicas mas sempre mantendo a sua integridade artística e o gosto em atravessar a fronteira do aceitável. Admito que não conheço a sua obra com a profundidade que queria e, daquilo que vi, se não posso dizer que seja fã incondicional, posso ainda assim admitir também que se nota a léguas a marca de um autor, capaz de tudo pelo seu cinema.

 
At 3:58 da manhã, Anonymous Artur Almeida said...

Pois, uma personalidade fascinante, e é daquelas que me irá fazer comprar o seu pack um dia, para descobri-lo como quero imenso. Tenho enormes expectativas para o que irei encontrar.

 
At 7:41 da tarde, Blogger Nelson said...

um abanão no cinema português
abanão é pouco
um terramoto

 
At 7:56 da tarde, Blogger Elisabete said...

Sou um admirador incondicional do seu cinema,nos seus filmes os portugueses estão lá,com todas as qualidades e defeitos.
Vi quase todos os seus filmes no cinema e tenho o pack com toda a sua filmografia e sem dúvida que estamos perante o nosso mais brilhante cineasta que deixou uma marca inapagável na história do cinema Português.

 
At 6:06 da tarde, Anonymous Quintas said...

João de César Monteiro foi o cineasta da provocação ao poder e isso valeu-lhe o ser marginalizado,por sucessivos governos,pois nunca se dignaram a assistir a nenhuma estreia dos seus filmes e se é certo que lhe davam subsídios para as suas obras,isso apenas se devia ao prestígio que o seu cinema gozava no estrangeiro.
Recomendo a quem não conhece a obra deste Grande realizador que com os DVD.s da trilogia João de Deus: "Recordações da casa Amarela","A comédia de Deus"e"As bodas de Deus".

P.S. "As recordações da Casa Amarela" foi o filme Português que conquistou o maior galardão num festival internacional: Leão de Prata em Veneza.q

 
At 8:14 da tarde, Anonymous liliana navarra said...

Primeiro Website Oficial dedicado a João César Monteiro


www.joaocesarmonteiro.net

Vai ser lançado no dia 3 de Fevereiro o primeiro portal oficial dedicado ao Mestre João César Monteiro, um dos maiores realizadores portugueses do cinema vanguardista da década de 60 do Novo Cinema.
O objectivo principal será criar uma plataforma virtual onde se promovem debates relacionados com o tema, que contarão com a participação de profissionais de cinema, investigadores e amadores da área.
Criar, através do portal, um ponto de ligação internacional de estudo sobre a figura de Monteiro, inédito em Portugal e no mundo.
O web site disponibilizará o material completo sobre a obra do Mestre, em qualquer lado do mundo à distância de um clique.


Mais informaçoes:
joaocesarmonteiro.blog.com

 

Enviar um comentário

<< Home