sábado, março 26, 2005

Cinema Paraíso

Título Original:
"Cinema Paradíso" (1989)

Realização:
Giuseppe Tornatore

Argumento:
Vanna Paoli & Giuseppe Tornatore

Actores:
Salvatore Cascio - Salvatore (Criança)
Marco Leonardi - Salvatore (Adolescente)
Jacques Perrin - Salvatore (Adulto)
Philippe Noiret - Alfredo
Agnese Nano - Elena


Cinema Paraíso, obra aclamada e aplaudida de 1989, é acima de tudo um autêntico elogio ao amor, à amizade, à juventude, à vida e ao cinema. É um filme muito especial, pois de uma forma poética consegue mostrar a magia que o cinema transmite a todos os seus amantes. Em 1989 alcançou o Prémio da Crítica em Cannes e no ano a seguir não perdeu o Óscar para Melhor Filme Estrangeiro.

O realizador Salvatore é um realizador de sucesso em Roma, e numa noite recebe a notícia que o seu amigo Alfredo morreu. É nesta altura que Salvatore se relembra de tudo o que pensava que podia ter esquecido. Relembra os seus tempos de infância, vividos numa cidade pequena da Sícilia, assombrada pela pós-guerra e pela imagem do pai que nunca voltou da guerra. Estes eram tempos difíceis, reinavam a fome, a pobreza, a censura e o cinema era o espaço onde as populações podiam sonhar e por breves momentos serem felizes. As cenas passadas nos cinemas retratam as situações mais caricatas: o início dos namoros, as partidas das crianças, a corrida destas mesmas para a primeira fila frente ao ecrã, negócios obscuros, inclusive cenas de sexo.
Salvatore relembra-se enquanto Toto e o seu amigo Alfredo, o projeccionista da sua cidade que lhe mostrou os segredos do cinema e das projecções e assim estimulou-lhe a grande paixão pelo cinema.

O filme retrata o amor nas suas diversas frentes: o amor de mãe versus mulher, amor de adolescente (contrariado neste caso, uma vez que o pai de Elena não gostava de Salvatore por este ser pobre), o amor sob forma de amizade, e o amor pelo cinema. É também devido a esses “duros” amores que se fazem escolhas, sacrifícios, sofrem-se consequências e muitas vezes obrigam-nos a fugir dessas realidades para criarmos em nosso torno uma redoma de vidro aparentemente intocável. Mas na noite em que Salvatore recebeu a triste noticia, percebeu que não podia fugir do passado, pois querendo ele ou não ele existia, e por isso mesmo tinha que o enfrentar. Assim passados muitos anos de ter “fugido” da sua terra natal, Salvatore volta à sua terra para o funeral do seu amigo e reencontra os rostos envelhecidos daqueles que o acompanharam durante a sua infância, e então sente-se de novo em casa.
Antes de partir, Alberto deixou um presente a Salvatore. Uma fita. Salvatore só a viu quando regressou a Roma. É então que se emociona quando se depara que aquela fita era aquilo que sempre sonhara: o conjunto das cenas cortadas dos filmes, à causa da censura. Essas cenas não são mais do que os beijos mais famosos do cinema, majestosamente montados numa sequência extremamente emocionante e inesquecível.

Cinema Paraíso tem um encanto especial e a escolha para a direcção musical, não podia ser melhor, pois esteve ao cargo do senhor Ennio Morricone. As músicas escolhidas para cada cena realçam os sentimentos presentes na mesma, tornando-se assim um filme emocionalmente inesquecível.

® Inês Montenegro

16 Comments:

At 5:09 da manhã, Anonymous Pablito said...

Molto bello...

 
At 8:05 da tarde, Anonymous helena said...

O Cinema Paraíso é um filme fantástico! Adorei vê-lo e tenho imensa pena pela morte do grande actor que dava vida a Alfredo no filme. Bj ;)

 
At 8:35 da tarde, Anonymous vendsonhos said...

Um filme marcante, q deixa no seu final, uma lagrima sentida na alma...

 
At 4:40 da tarde, Anonymous Anónimo said...

amo este filme, foi o filme da minha vida , diz o que é uma amizade e fala o quanto as crainças são inocentes

 
At 12:34 da manhã, Blogger eraumavez said...

De facto os responsaveis pela cultura dos diversos paises da Eupora são um monte de estrume....
A percentagem das pessoas que viram este filme é mil vezes inferior a qualquer Filme filme/esterco de produção americana...essa é a triste realidade dos Homosexualidade politica dos nossos governantes!!!!

 
At 10:18 da tarde, Anonymous gaby said...

gosteia taaaaanto ...!

...são tantos os valores...
e quantas mais vezes... mais choro...

 
At 7:12 da tarde, Blogger Fat said...

Belo filme! Inesquecível música de Ennio Morricone.

http://www.youtube.com/watch?v=1FzVWlOKeLs&feature=related

 
At 2:24 da tarde, Blogger Susana said...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 11:31 da manhã, Blogger José said...

A figura do actor Jacques Perrin, de homem atormentado pela infelicidade, é genial. Alfredo, o menino, a mãe, o padre, o dono do cinema são figuras incontornáveis daquela época. Era mesmo assim...
Filme genial. Cada vez que o vejo, já o vi para aí umas cinco vezes, vislumbro emocionado sempre coisas novas. É o filme da minha vida.

zé Laranjeiro

 
At 4:17 da tarde, Anonymous Anónimo said...

LINDO! 1ª vez que o vi..na rtp2 a uns bons anos atras..que descoberta, entrou de mansinho e ali ficou, no meu coração! Filme da minha vida! Ainda correm lágrimas..mesmo de pois de tantas vezes a vê-lo! Nunca pensei ter um sentimento assim de um filme! BELO! BELISSIMO!!!

 
At 3:45 da tarde, Anonymous Castanheira said...

Não conheço ninguém que tenha visto este filme e que não tivesse adorado... É realmente genial, belo e único!Foi com este filme que nasceu a minha enorme paixão pelo cinema... Aquela banda sonora e a cena final são MAGISTRAIS! Obrigado Tornatore...

 
At 12:14 da tarde, Anonymous Gabriela Cunha said...

Simplesmente o melhor de sempre. lembro-me que comecei a ver o filme por indicação de um grande amigo e não consegui sair da frente do televisor até ao final. Adorei a simplicidade e ternura que este filme transmite............simplesmente lindo.

 
At 9:26 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Posso dizer que já o vi 9 vezes, e de todas as vezes que o vejo digo; "Lindo". Afirmo que os melhores fimes que vi foram Italianos. Alguem ja viu "O ladrão de bicicletas"?. Vejam...

 
At 9:38 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Há, ja viram "Feios, porcos e maus" claro esta Italiano.

 
At 5:37 da tarde, Blogger vitor manuel said...

É o filme da minha vida.
Sente-se um nó na garganta.
Se possível gostaria que fosse a ultíma coisa a fazer antes de morrer, ver o filme um ultíma vez.

 
At 3:27 da tarde, Anonymous Anónimo said...

muito bom! inesquecível...

 

Enviar um comentário

<< Home