quarta-feira, novembro 16, 2005

Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos

Título Original:
"Million Dollar Baby" (2004)

Realização:
Clint Eastwood

Argumento:
F.X. Toole & Paul Haggis

Actores:
Clint Eastwood - Frankie Dunn
Hilary Swank - Maggie Fitzgerald
Morgan Freeman - Eddie Scrap-Iron Dupris


Um dos filmes mais elogiados do início de 2005, multipremiado na mais recente edição dos Óscares, onde foi o vencedor em quatro categorias (Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Actriz Principal e Melhor Actor Secundário), Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos é mais um inquietante drama gerado por um dos principais cinestas norte americanos contemporâneos.

Clint Eastwood, que é aqui o realizador e actor principal (e colabora ainda na banda-sonora), proporciona uma obra marcada por atmosferas de melancolia e desolação que servem de alicerce a um vibrante olhar sobre as relações humanas.

Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos centra-se em Maggie Fitzgerald (Hilary Swank), uma jovem empregada de café que, apesar de ter tido uma vida pouco próspera, mantém ainda a esperança em consolidar o seu principal desejo: tornar-se uma pugilista profissional. Contudo, à medida que se aproxima dos 30 anos, a concretização dessa ambição torna-se cada vez mais improvável, por isso Maggie tenta convencer Frankie Dunn (Clint Eastwood), um veterano e reputado treinador de boxe, a auxiliá-la no seu ansiado projecto. Relutante, Dunn coloca múltiplos entraves, mas aos poucos vê-se tentado a ceder e forja com a jovem uma densa e singular cumplicidade, desfazendo, em parte, a solidão e o cepticismo que o atormentam.

Se por um lado segue os moldes e convenções dos filmes de boxe, exibindo os clichés e situações habituais do género, Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos não se esgota nesse formato, e apresenta uma interessante perspectiva sobre as dimensões do sonho e da desilusão, focando as interligações de um absorvente trio de personagens (para além do duo Swank/Eastwood, destaca-se ainda Morgan Freeman no papel de um ex-pugilista amigo de Dunn, que é também o narrador do filme).

De facto, a primeira hora da película segue a rotina que marca a maioria dos filmes de boxe, expondo episódios mais ou menos previsíveis e estereotipados. Contudo, essa fase inicial do filme consegue ser absorvente devido à tridimensionalidade das personagens principais, capazes de ultrapassar as limitações do argumento.

Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos atinge maior brilho e densidade na sua etapa final, onde acontecimentos inexoráveis despoletam uma aura soturna e claustrofóbica que tornam o filme numa obra marcante e a espaços demolidora. No entanto, aqui mantêem-se ainda aspectos não muito conseguidos, como a caricatural caracterização da família de Maggie ou pontuais passos em falso do argumento, que aposta em demasiadas muletas pouco verosímeis para disseminar uma sobrecarga de desalento e ambientes trágicos.

Em certos momentos, há perigosas aproximações com os estafados telefilmes que focam "um caso da vida", dado o nível de negritude e infortúnio. Felizmente, Eastwood envereda quase sempre por tons sóbrios e discretos, evitando armadilhas do melodrama mais fácil e pegajoso, abordando as situações com considerável subtileza.

O trio de personagens é suficientemente intrigante, e o facto de serem interpretados por actores de primeira linha - excepto Eastwood, cujo desempenho, apesar de esforçado, é apenas competente - ajuda a gerar boas doses de carisma e intensidade. O contraste entre o cativante idealismo de Maggie e o cinzento cepticismo de Frankie funciona particularmente bem, e a química e entrega dos dois actores ajuda a que as personagens se tornem sempre envolventes.

A realização é subtil e adequadamente minimalista, enveredando por um realismo cru e despojado, e o óptimo trabalho de fotografia e iluminação auxiliam a disseminação de uma forte carga sombria e soturna, contribuindo para acentuar a forte tensão dramática da película. Eastwood consegue filmar de forma convincente tanto as dinâmicas cenas de combate no ringue, irradiando uma energia cinética contagiante, como os episódios mais pausados e lacónicos, oferecendo momentos de grande impacto emocional.

O resultado é um filme sólido, maduro e honesto, o mais entusiasmante de Eastwood nos últimos anos, depois do sobrevalorizado Mystic River e dos desapontantes Dívida de Sangue e Um Crime Real. Os epítetos de obra-prima e inspirada prova de genialidade - com que Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos foi recebido de forma quase unânime - é que não serão os mais apropriados, uma vez que não há aqui nada de verdadeiramente inovador e o filme contém, como foi referido, alguns desequilíbrios.

Mesmo assim, possui méritos suficientes para se tornar numa obra cujo visionamento se recomenda, dando aos actores o espaço que estes merecem e abordando de forma inteligente o âmago das relações humanas, elementos nada negligenciáveis.

® Gonçalo Sá

7 Comments:

At 9:53 da manhã, Blogger nuno said...

gonçalo n está o clint num registo de underacting? pois para mim está bastante competente;)

 
At 10:34 da manhã, Blogger cine-asia said...

Penso que o filme tem a sua força nas interpretações, competente realização e no fabuloso twist a meio, que é como se o espectador levasse um soco no estômago. Mas seguramente é um bom filme que vale mais que 6/10 na minha opinião. Eu daria 8/10, mesmo concordando que o final é um pouco pra lamechice... Cumprimentos Gonçalo.

 
At 5:12 da tarde, Blogger membio said...

fui ver ao cinema (de graça :)) e gostei do filme, que está bem escrito e representado, mas é um bocado monótono... é provavelmente um filme que não irei ver tão cedo...

 
At 8:27 da manhã, Anonymous S0LO said...

Monótono?! Lamechas?! Rotineiro?! Isto é uma cabala contra o filme, é o que é :P lol!

Abraços =)

 
At 9:51 da tarde, Anonymous André Carita said...

Simplesmente um dos melhores filmes de 2004, a par de Mystic River. Clint Eastwood surpreendeu-me imenso. O seu trabalho como realizador é de uma pormenorização absolutamente notável!
Intenso, dramático e dolorosamente credível! Gostei bastante!
Os meus cumprimentos!

 
At 3:48 da tarde, Blogger gonn1000 said...

Nuno: Competente, sim, mas quanto a mim longe de brilhante.

Cine-Asia: Não achei assim tão bom, é um pouco desequilibrado.

Membio: Pois, nem eu lol

SOLO: Nahhh, a aclamação consensual de que foi alvo resiste a qualquer cabala...

André Carita: Penso que é superior a "Mystic River".

 
At 5:28 da tarde, Anonymous Ganda bacano said...

Ha-ha-ha... este filme não vale um cu! Já tentei treinar a minha filha de 7 anos para andar à porrada na escola, mas assim que estica os braços cansa-se e prefere ir pôr a roupa a lavar... Concordo inteiramente com o final lamechas, o velho devia dizer "Quê? Vai morrer? Foda-se!! Tenho de arranjar outra gaja..."... Depois deste filme tive de me embebedar e ver filmes de guerra como Rambo e porrada com chineses para recuperar a masculinidade... Isso sim, é o cinema que o tuga quer...

 

Enviar um comentário

<< Home