terça-feira, agosto 09, 2005

Uma Sogra de Fugir

Título Original:
"Monster in Law" (2005)

Realização:
Robert Luketic

Argumento:
Anya Kochoff

Actores:
Jennifer Lopez - Charlotte "Charlie" Cantilini
Jane Fonda - Viola Fields
Michael Vartan - Kevin Fields
Wanda Sykes - Ruby


Uma Sogra de Fugir, ou Monster in Law, não é uma comédia de fugir, mas também não escapa aos habituais clichés dentro do género. Salvam-se algumas gargalhadas e a participação da promissora Wanda Sykes, como Ruby.

Premissa: você acredita em horóscopos de efeito imediato. Você é uma moça bem comportada e boazinha – tanto que até irrita. Você tem um amigo gay e, para além disso, vive em busca do grande amor. Até que ele aparece, literalmente do nada, trazendo consigo uma mãe insuportável.
Esta é a base de onde parte mais uma comédia romântica de Verão, realizada por Robert Luketic (Legalmente Loura) e protagonizada por uma Jane Fonda canastrona mas inteiraça e por uma Jennifer Lopez capaz de manter a interpretação à altura do que se exige.

Charlie (Lopez) é uma menina irritante de tão boazinha, género gata borralheira, que trabalha em ocupações tão criativas como passear cães na praia e atender o telefone numa clínica. Um dia, enquanto passeia na praia, conhece aquele que se revela entretanto o homem da sua vida: Kevin (Michael Vartan), um médico bem sucedido, bem apessoado e aparentemente perfeito. No meio do arco-íris aparece, contudo, a trovoada: Viola (Fonda), a sogra degenerada, obcecada pelo filho e ainda por cima maníaco-agressiva-depressiva, que pretende fazer de tudo para afastar o seu rebento da amada.

No meio de múltiplas peripécias, em que até sessões de estalos e tentativas de envenenamento têm lugar, Uma Sogra de Fugir afasta-se em qualidade de filmes semelhantes em argumento (como Um Sogro do Pior) devido a alguma previsibilidade, mas sobretudo devido ao nonsense de algumas cenas – a título de exemplo, aquela em que Viola se passa com a cantora burrinha que está a entrevistar em directo, cena completamente despropositada. Por outro lado, escapam alguns bons momentos, nunca hilariantes mas suficientemente cómicos, como os que dão corpo à vingança da pobre menina, já cansada de ser piedosa, contra a sogra megera. Grande destaque vai para Wanda Sykes, que, no papel da assistente de Viola, prova ser uma muito promissora actriz de comédia: é que, ela sim, consegue ser verdadeiramente hilária, como sombra crítica da personagem de Jane Fonda.

Em suma, Uma Sogra de Fugir é um bom filme-pipoca, que não traz nada de novo mas que constitui uma experiência satisfatória de cinema-comédia. Os desempenhos são eficientes q.b., sendo que algumas das suas falhas parecem vir directamente do argumento (a cargo de Anya Kochoff), que em busca da gargalhada resvala algumas vezes para o dispensável.

® Andreia Monteiro

2 Comments:

At 8:32 da tarde, Blogger Daniel Pereira said...

Um atentado ao género comédia, isso sim.

 
At 5:07 da tarde, Anonymous Samuel Maia said...

Hoje em dia são raras as comédias que nos fazem rir. Julgo que o género da comédia está a atravessar uma crise. Deste filme só vi o trailer e isso não me motivou a assistir ao filme até porque não gosto muito de comédias românticas, que existem ao milhares.

 

Enviar um comentário

<< Home