sábado, novembro 12, 2005

Be Cool

Título Original:
"Be Cool" (2005)

Realização:
F. Gary Gray

Argumento:
Elmore Leonard & Peter Steinfeld

Actores:
John Travolta - Chili Palmer
Uma Thurman - Edie Athens
Vince Vaughn - Raji


Estreou na início de 2005 a sequela de Get Shorty- Jogos Quase Perigosos, de 1995. Chama-se Be Cool e tem como protagonista uma equipa de celebridades, desde John Travolta aos Aerosmith.

Be Cool começa por ser, antes de mais, uma derivação bizarra de comédia negra, que apresenta laivos de argumento à Tarantino (a cena do tiroteio logo ao início é disso exemplo), “mixados” com um autêntico desfile de celebridades: Travolta, Uma Thurman, Danny De Vito, The Rock, Christina Milan, The Rock...
O argumento segue as bases do primeiro filme, Get Shorty, de 1995, mas a realização de F.Gary Gray dá-lhe, do início ao fim, ares de aprendiz de Pulp Fiction – onde nem falta a junção do par “mágico” Travolta e Thurman, nem a sexy cena de dança. Contudo, desta vez esse argumento (pouco consistente) perde-se na interacção entre as celebridades e na peculiaridade dos personagens
(Travolta, ou Chili Palmer, o agiota que desiste do cinema para ser produtor musical; Vince Vaughn, ou Raji, o produtor “dread”; The Rock, ou Eliott, o guarda-costas gay que quer ser ídolo da canção). Efectivamente, num filme que é suposto ser comédia, as cenas realmente cómicas são menos do que as esperadas, residindo a grande marca do filme no enorme conjunto de actores, abrilhantados por personalidades do mundo da música – os Aerosmith, na pele deles próprios, e Christina Milan, no papel da aspirante a cantora Linda Moon.

De resto, 'Be Cool' é apenas uma sequela onde o personagem de Travolta, que agora é produtor musical, tenta fintar os ex-produtores da cantora Linda Moon (Vince Vaughn e um inacreditável Harvey Keitel), bem como o guarda-costas mais ridiculamente cómico (The Rock, penteado e bem disfarçado à Jackson 5) e uma boys band de rappers que são pistoleiros nas horas vagas (imperdível e essência da comédia, o personagem Dabu, interpretado por André 3000), para conseguir levantar com Uma Thurman (Edie) uma produtora discográfica falida a braços com a máfia russa, e recuperar o contrato da cantora que não consegue libertar-se da alçada de Nick Carr (Harvey Keitel). Isto resulta numa estranha mistura de sequências de acção e comédia que têm sempre no miolo os personagens - tantos que, às tantas, a nossa atenção se dispersa, e se perde de um argumento pouco focalizado.

Por entre cerimónias de óscares musicais e o rock dos Aerosmith, Be Cool assume-se, por fim, como peça de puro entretenimento, algo confusa mas propícia às pipocas e a algumas gargalhadas, enriquecida por desempenhos convincentes onde há algumas surpresas, como The Rock e Harvey Keitel. Quanto aos restantes, Travolta mantém o charme, Uma mostra-se em biquini e Vince Vaughn prova que sabe fazer comédia.

® Andreia Monteiro

1 Comments:

At 11:50 da manhã, Anonymous Nelson Veloso said...

Um barrete de dimensões abissais, simplesmente inqualificável, nas imortais palavras de Diácono Remédios "Os artistas são bons artistas, não havia necessidade..."

 

Enviar um comentário

<< Home