domingo, setembro 11, 2005

Realizador da Semana: Walt Disney

É provavelmente o cineasta de maior êxito da História do Cinema, criador de um magnificente império à escala mundial, alicerçado numa noção de entretenimento familiar de notória qualidade.

Nascido a 5 de Dezembro de 1901 em Chicago, Walter Elias Disney começou como cartoonista, tornando-se animador e consequentemente reinventando absolutamente o género. Foi sempre um visionário, que, com atrevimento e ousadia aliados, e contra muitos receosos da sua megalomania, impôs a sua visão de génio. Pioneiro de importância incalculável, o americano esteve na vanguarda de quase tudo o que se fez em animação (do som à cor, passando pela animação de figuras humanas, personagens com personalidade, filmes de longa-metragem, televisão, surrealismo).

O responsável por personagens tão lendárias quanto o rato Mickey, o pato Donald, o cão Pluto, etc. seria o membro mais ilustre desta secção se a mesma fosse sobre produtores, tendo sido o mais influente e de maior sucesso de sempre. Nessa qualidade, sob a sua batuta perfeccionista, foram criadas autênticas obras-primas animadas conhecidas por todo o Mundo, tal como Branca de Neve e os Sete Anões; Pinóquio; Bambi; A Bela Adormecida; Os Três Porquinhos; Dumbo ou até o não animado Mary Poppins.
No que diz respeito à sua bem mais discreta condição de realizador, o disléxico e activo anti-comunista dirigiu 112 obras, 111 delas curtas-metragens. A excepção, que não é bem excepção, foi a sequência animada para a longa discreta Servants’ Entrance, realizada por Frank Lloyd. Nas suas curtas mais célebres contam-se a série de quase sessenta episódios protagonizados pela personagem Alice; Plane Crazy, a primeira aparição cinematográfica do rato Mickey; inspirada pelo voo de Charles Lindberg de Nova Iorque a Paris; e Steamboat Willie, a segunda incursão do roedor na Sétima Arte, tornando-o um enorme e imparável sucesso.

Walt Disney é o recordista em Óscares ganhos (32), mas também é igualmente o recordista em colocar sorrisos verdadeiros nas crianças. Por isso, e visto ser algo priceless, só nos resta agradecer.

® Artur Almeida

2 Comments:

At 3:38 da tarde, Blogger Gustavo H.R. said...

Esse spamming é uma praga!
Quanto ao tópico do texto, digo com sinceridade que dificilmente teremos outro génio dessa estatura, pois ele atuou principalmenten nos primórdios da animação nop cinema e ajuldou a moldá-la de forma eterna. Afinal, quem mais seria capaz de ganhar 22 Óscares?

 
At 10:56 da tarde, Anonymous Artur Almeida said...

Pois é Gustavo, eu cá para mim acho que Walt Disney é tão único e insubstituível, que encontrar alguém que de futuro tivesse a sua importância no cinema, seria a surpresa do milénio.
E já agora, foram 32 Óscares que o homem ganhou, 32!

 

Enviar um comentário

<< Home