sexta-feira, novembro 02, 2007

Hostel 2

Título Original:
"Hostel: Part II" (2007)

Realização:
Eli Roth

Argumento:
Eli Roth

Actores:
Lauren German - Beth
Roger Bart - Stuart
Heather Matarazzo - Lorna
Bijou Phillips - Whitney


Eli Roth caiu nas boas graças dos estúdios Lionsgate, já que o seu primeiro filme (Cabin Fever) lhes permitiu arrecadarem o suficiente para comprarem a Artisan Entertainment e subirem exponencialmente o seu valor de mercado, após terem adquirido o filme no Festival de Cinema de Toronto 2002 em leilão, contra outras oito distribuidoras.

Hostel foi o filme seguinte de Roth, sendo financeiramente bem sucedido em celulóide e DVD. Apanhando o público e a crítica desprevenidos, aproveitou-se do mesmo efeito que Saw e foi celebrado por não se estar à espera dele. Estava criado o género porno torture. O facto de Roth realizar e escrever a sequela transmitia a ideia de que pretendia continuar a dominar o produto e que não era sua intenção franchisá-lo.

Hostel tinha uma história simples. Três turistas de mochila às costas vão para a Eslováquia à procura das mais belas mulheres do mundo, que estariam empilhadas num pequeno hostel, prontas a usar, mas afinal tinham sido atraídos a um clube secreto onde quem paga, tortura (e não lhes cabia a eles torturar).

Tão narcisista como o seu padrinho Quentin Tarantino, produtor executivo de ambos Hostels (e que lhe deu um papel em À Prova de Morte) Eli Roth tem, infelizmente, mais garganta do que ideias. Haverá alguma reviravolta que justifique a sequela? Os três turistas masculinos são substituídos por turistas femininas, da mesma idade deles; em vez de duas manequins que os atraem ao matadouro (é o mesmo sítio) há apenas uma; a gang do jardim-escola ainda por lá anda a roubar; e conhecemos dois aspirantes a assassinos (ambos saídos da série Donas de Casa Desesperadas) e o método de licitação online.

O tratamento dado às personagens é infeliz. As três protagonistas não criam qualquer empatia com o público (são cabras ou semi-cabras), pelo que o seu destino nos é indiferente; se forem mortas, paciência, se se safarem, bocejo. Se estão à espera que alguma se dispa, lamento desiludi-los... apenas a mais feia de todas o faz. A relação e o volte-face dos dois torturadores é curiosa, mas não mais do que isso.

Sabemos que o clube tem tentáculos mafiosos espalhados pelo mundo, mas permanecem um mistério. Mais importante do que isso, infelizmente as formas de tortura não são esteticamente interessantes.

As bilheteiras de Hostel 2 secaram rapidamente. O filme Captivity foi um fiasco. Anuncia-se o fim, ou pelo menos a estagnação, do torture porn. Esperemos que seja tempo de reflexão para Eli Roth, que ainda não fez nada para merecer o estatuto que se auto-atribui.

® Ricardo Lopes Moura

3 Comments:

At 6:26 da tarde, Blogger Flávio said...

Que Deus me perdoe, mas eu adorei os dois filmes.

 
At 5:39 da tarde, Anonymous Token said...

Este país precisa de quem lhe pegue a ferro e fogo. Não me surpreende, a curto prazo, encontrar igrejas e viaturas queimadas ou baleadas, actos passíveis de pedofilia, lenocínio ou consumo de estupefacientes nas escolas, ameaças e agressões em grupo a professores, pais e funcionários, cães vadios imolados, cadáveres de sem-abrigos empilhados no interior de recintos escolares, crianças de lábios grudados amarradas a árvores, incêndios em área urbana circundante, padres banhados em lixo, adolescentes com madeixas arrancadas, facadas anónimas, adeptos enforcados com o próprio cachecol, edifícios espelhados pintados ou quebrados, dejectos abandonados frente a escolas, assaltos no metro em pleno dia, pares de agentes policiais dominados e executados com a própria arma, viagens de táxi pagas a murro e a martelo, tudo colmatado com o voto de silêncio de gangues organizados de jovens endoutrinados amargurados com o sistema. Calma Portugal!

 
At 10:04 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Gajo tão estúpido... Olha lá otário vé se deixas de ler jornais sensacionaliostas e te auto didatas...

Além disso Token Parece código de mensagens codificadas usadas em rede...

*Em relação ao filme, eu não gostei muito do primeiro, e este segundo estava ainda pior, mas como eu digo, achei o fim deste interessante apesar de tudo.

(Não têm nenhuma critica ao FightClub e ao DonnyDarko? Fiquei espantada)

 

Enviar um comentário

<< Home