segunda-feira, janeiro 23, 2006

O Quinto Elemento

Título Original:
"The Fifth Element" (1997)

Realização:
Luc Besson

Argumento:
Luc Besson & Robert Mark Kamen

Actores:
Bruce Willis - Korben Dallas
Milla Jovovich - Leeloo
Gary Oldman - Jean-Baptiste Emanuel Zorg
Ian Holm - Father Vito Cornelius


Uma raça extra-terrestre, os Mondoshawans, regressa a um templo no Egipto, em 1914, para levar quatro pedras, representando os quatro elementos, que consideram não estarem ali seguras. As pedras serão vitais para repelir o ataque das forças do Mal, previsto para dali a 300 anos. Nova Iorque, 2214, os Mondoshawans voltam à terra mas são impedidos de cumprir a sua missão. Entretanto, as forças malignas, na forma de uma gigantesca esfera de anti-matéria do tamanho de um pequeno planeta, preparam-se para exterminar toda a vida terrestre.

O padre Cornelius (Holm), seguidor de uma religião fundada pelos Mondoshawans previne que a batalha só será ganha juntando o quinto elemento aos outros quatro. Um ser humanóide, Leeloo (Milla Jovovich), é criado a partir de um Mondoshawan. Em fuga, vai cruzar-se com o motorista de táxis Corben Dallas (Bruce Willis). Mas as forças do Mal têm um aliado na Terra - Zorg (Gary Oldman) -, que fará tudo para ajudar à aniquilação da raça humana…

O Quinto Elemento, do cineasta francês Luc Besson, trata-se do filme europeu mais caro de sempre. Contando com um guarda-roupa de mais de 900 peças desenhadas propositadamente por Jean-Paul Gaultier e com uns efeitos especiais consideráveis para um filme de carácter europeu, o filme foi um sucesso imediato tanto de público como de crítica, que se rendeu a esta mescla futurista, de aventura, humor, acção, romance e ficção-científica.

Escrito pelo próprio Luc Besson com apenas 16 anos (largamente influenciado por Star Wars e Blade Runner, entre outros), O Quinto Elemento baseia o seu argumento na velha premissa do bem contra o mal, o que não é nada de novo no cinema. No entanto, a forma como a narrativa flui, permite que a película ocupe o seu espaço nas obras incontornáveis do cinema de ficção científica.

Os efeitos visuais são soberbos tanto na componente gráfica e design visual da cidade futurista, como no guarda-roupa, no qual Jean-Paul Gaultier contribui, em grande plano, para a criação de uma galeria de personagens bizarros e originais, que ajudam a compor um ambiente com reminiscências de alguma da BD europeia.

Contando com um elenco de luxo, de onde se destacam Bruce Willis, Milla Jovovich, Ian Holm ou o sempre brilhante Gary Oldman, é no entanto, Chris Tucker que se transcende criando uma espécie de entertainer transformista, excêntrico e inesquecível que, por mero acaso, acaba por fazer parte integrante da incessante luta do bem contra o mal. Destaque igualmente para a excelente banda sonora que vai desde a pop-techno até à ópera, adequando-se na perfeição ao tipo de cena envolvente.

Em suma, o Quinto Elemento é um filme de ficção científica com uma boa dose de cenas cómicas e de acção. Tal como nos filmes de 007, por exemplo, em que sabemos que James Bond, no final, salva o mundo e fica com a Bond-Girl, em o quinto elemento sabemos que o bem tem de triunfar sobre o mal. No entanto, a forma como essa viagem até ao triunfo decorre, vale bem a pena o embarque… Seguramente uma viagem cheia de emoções para o espectador.

® Sérgio Lopes

2 Comments:

At 2:27 da manhã, Blogger wasted blues said...

Filme engraçado de ficção científica, repleto de cameos e piscadelas de olho. No entanto, o meu favorito do Besson é, sem qualquer dúvida, o magnífico "Léon" :)

 
At 11:28 da tarde, Blogger membio said...

uma salganhada espacial que vale mesmo a pena ver!!!!

 

Enviar um comentário

<< Home